Fazendas que foram de meus avós séc. XVIII e XIX.


Autor: Anibal de Almeida Fernandes

Texto inicial: Fevereiro 2001, última atualização: Atualização, Novembro, 2017.

Em Andrelândia (antiga Vila Bela do Turvo), MG:

Fazenda das Bicas foi de João Gualberto de Carvalho, (1797-21/2/1869), 4º avôde Aníbal, e sua mulher Anna Inácia Ribeiro do Valle, (1804-11/1/1889), 1ºs Barões de Cajurú a 30/6/1860, foi a maior fazenda de criação de muares (mulas para transporte) do Império


1ºs Barões Cajurú

 

o casal teve 9 filhos, conforme o Testamento de Ana Inácia, 1ª Baronesa de Cajurú, registrado no Cartório do 1º Ofício, Livro 2, fls. 42v/45, Andrelândia, MG.:

1º) Ana Elisa da Conceição (3ª avó de Anibal), 1º c.c. Joaquim Carvalho de Arantes,


2º) Maria Brazilina da Conceição, bat, 29/8/1826, c.c. o Capitão Manoel Teodoro Pereira;

3º) Militão Honório, bat. a 10/5/1823, 2º Barão de Cajurú. tio 3ºavô de Anibal, (Dec. 1889), em 1853 c.c. sua prima-irmã Maria Cândida, filha do 1ºBarão de Cabo Verde (Dec. 1881);


2º Barão Cajurú


4º) Libânia Jesuína Carolina, Viscondessa de Arantes, tia 3ªavó de Anibal,c.c. seu primo-irmão, Antonio Belfort de Arantes, Barão de Arantes (Dec. 1879) e Visconde de Arantes (Dec. 1888), filho do 1º Barão de Cabo Verde (Dec. 1881);


5º) Inácio Caetano de Carvalho c.c. Ana Tereza Vargas, donos da fazenda Santa Tereza em Volta Redonda, RJ;

6º) João Pedro de Carvalho (*6/10/1836 +26/8/1889) c.c. Maria Isabel Marques Ribeiro, fal. 1903, (estão enterrados dentro da capela quase destruída da fazenda Santana, em Quatis, RJ, que era do Comendador Manoel Marques Ribeiro, sogro de João Pedro). Próximo à capela da fazenda está enterrado o 1º Barão de Cajurú, em túmulo em ruínas, que tinha um anjo de Carrara de 300 kg., que foi deslocado para uma igreja em Barra Mansa;

7º) Guilhermina, Baronesa de São João d’El Rei, tia 3ªavó de Anibal,nascida a 16/6/1838, c.c. Eduardo Pereira da Silva (1824-1881), Barão de São João d’El Rei (Dec. 1871),



pais de 8 filhos:

Maria, João Gualberto Pereira da Silva, nascido a 9/7/1861, Francisco, Eduardo Guilhermina, José, Maria José e Esther;

8º) Custódio Ribeiro de Carvalho (*1839 +16/5/1918) 1º c.c. Francisca de Rezende e 2º c.c. Maria da Glória Fonseca,

9º) José Ribeiro de Carvalho (*21/5/1848 +6/7/1896), c.c. Luisa Leite Ribeiro.


João Gualberto e a irmã, Ana Joaquina (mulher de Manoel Rufino de Arantesoutro 4º avôde Anibal), são filhos de Caetano de Carvalho Duarte Filho e Ana Joaquina, são netos de Caetano de Carvalho Duarte e Catarina de São José,casal Tronco Carvalho Duarte-Cajurú, esão bisnetos de Antonia da Graça7ª avó de Anibal, que é uma das 3 Ilhoas de Minas Gerais, casada com Manoel Gonçalves da Fonseca, radicados em São João d’El Rei no 1º quartel do século XVIII.

Esta fazenda das Bicas, comprada em 1830, séc. XIX, ainda pertence aos descendentes do 1º Barão de Cajurú, pois é propriedade do casal Suely ArantesJunqueira Carvalho (5ª neta do 1º Barão de Cajurú, 4º avô de Anibal) e Antonio Márcio Silveira Carvalho, ambos descendentes do 1º Barão de Cajurú, pais de:

Danielle Junqueira Carvalho (*6/11/1991)

Henrique Junqueira Carvalho (*12/7/1999)

A fazenda das Bicas, está situada na Rodovia BR-267. Distante 140 Km de Juiz de Fora; 100 Km da cidade mística de São Thomé das Letras e 50 Km das cidades turísticas de Carrancas e Aiuruoca, MG.




Fazenda Visconde Cananéia



A fazenda Visconde de Cananéia fica localizada a 12,5 Km da cidade de Vassouras, às margens da Rodovia Lúcio Meira (BR-393), podendo ser avistada desde a estrada, devido à sua implantação sobre o topo de um morro.




Fazenda Paraíba foi de Antonio Belfort de Arantes, 1º Barão de Cabo Verde,tio-4º avô de Aníbal, e de sua mulher Maria Custódia Ribeiro do Valle (irmã deAna Inácia, 1ª Baronesa de Cajurú, 4ª avóde Anibal). O casal teve vários filhos, entre eles Maria, que foi casada com o 2º Barão de Cajurú, Militão Honório.


1ºs Barões Cabo Verde

 

Antonio Belfort de Arantes é primo-irmão de Manoel Rufino de Arantes Marques4º avô de Anibal, ambos netos do capitão Antonio de Arantes Marques, Patriarca do Ramo Arantes-Aiuruoca, que foi ofundador da fazenda Conquista em Aiuruoca no séc. XVIII que está até hoje nas mãos da família Arantes.

Antonio Belfort de Arantes, 1º Barão de Cabo Verde deixou a fazenda Paraíba para seu filho, Antonio Belfort Ribeiro de Arantes, Barão e Visconde de Arantes, a 18/7/1888, que é tio-3ºavô de Aníbal, e era casado com Libânia Jesuina Carolina de Carvalho, (filha de, João Gualberto, 1º Barão de Cajurú, 4º avô de Anibal), foram pais de 2 filhas: Ambrosina e Maria.


Viscondes de Arantes

 

Antonio Belfort Ribeiro de Arantes, Visconde de Arantes, foi vulto público importante para o Turvo/Andrelândia sendo, Presidente da Câmara de Andrelândia em 4 gestões (1869-1872, 1883-1886, 1891-1894 e 1905-1907) e Deputado Federal, ele tem busto em praça pública de Andrelândia.

Em Aiuruoca, MG:

Fazenda Conquista, fundada em 1768, séc. XVIII, na freguesia de Nossa Sra. da Conceição de Ayuruoca, Comarca do Rio das Mortes, do Bispado de Mariana, fundada pelo, Capitão-Mor de Aiuruoca, Antonio de Arantes Marques, 5º avô de Aníbal,


e sua mulher Ana da Cunha Carvalho, que descende de Balthasar de Mores de Antas12º avô de Anibal, que veio para o Brasil em 1556 e foi Juiz em São Paulo em 1579. O casal teve 11 filhos. A fazenda era de criação de gado e cana de açucar.

Capitão Antonio e Ana foram proprietários da Fazenda Conquista na Freguesia de Aiuruoca, então termo da vila de Campanha da Princesa, com casa assobradada, ermida própria sob orago de S. Antonio do Amparo, paiol, várias senzalas, engenho de cana etc. (projetocompartilhar)

A fazenda Conquista esteve arrendada por 12 anos a Custódio José Vieira c.c. Margarida que é irmã de Ana da Cunha Carvalho, conforme o testamento de Antonio de Arantes Marques.

A Fazenda Conquista foi inicialmente herdada por Manoel Rufino de Arantes Marques (6º filho do casal) 4º avô de Anibal, e sua mulher, Ana Joaquina de Carvalho, (irmã do 1º Barão de Cajurú), que tiveram 10 filhos:

1) Manoel Rufino Filho (teve 2 casamentos), 2) Francisca, 3) Maria, 4) Caetano, 5) João, 6) Joaquim (3º avô de Anibal),7) Leonardo, 8) Quintiliano, 9) Bárbara (que foi, a 19/2/1842, a 2ª mulher do Capitão Inácio Ribeiro do Valle que é 5º avô de Anibal, por ser pai de Ana Inácia e Maria Custódia,retro citadas) e 10) Íria.


Há que se destacar que a Ermida dedicada a Sto. Antonio, mandada erigir pelo Capitão Mor Antônio, 5º avô de Anibal, quando ele tinha 70 anos, teve seu Provimento de execução de Ermida solicitado 29 de Janeiro de 1800 e aprovado a 5 de Março de 1801 pelo vigário visitador Gabriel da Costa Rezende*, e tem suas ruínas preservadas até hoje em dia.

 



*Transcrição de Documentos do Arquivo Nacional do Rio de Janeiro, obtidos por Joaquina Mühlhofer de Arantes a 31/5/1994.



Foto Ruínas Capela Fazenda Conquista (Iracema Arantes)


Atualmente essas ruínas foram tombadas pela Secretaria de Cultura de Aiuruoca, graças à petição do atual proprietário João Batista de Arantes, primo em 5º grau de Anibal.


- uma fazenda de cultura denominada, digo, de cultura e criar denominada Conquista  15:200$000


Museu Regional de São João del Rei


Tipo de Documento: Inventário de Antonio de Arantes marques, 5ºavô de Anibal


Ano: 1816


Caixa: 05


fls. 45 -Escritura Compra e Venda


Data: 03-02-18(??)


Local: Vila da Campanha da Princesa, Minas e Comarca do Rio das Mortes


Vendedor: Alferes João de Arantes Marques


Comprador: Tenente Manoel Rufino de Arantes, 4ºavô de Anibal


Produto da Venda: terras de cultura e criar na Fazenda da Conquista na freguesia da Aiuruoca



Esta fazenda Conquista, fundada em 1768, até hoje pertence aos Arantes, pois o atual proprietário é o eng. João Batista Arantes morador no Rio de Janeiro e 5º neto do Capitão-Mor Antonio de Arantes Marques pelo seu 2º filho Thomas Joaquim, que é seu 4º avô e tio 4º avô de Anibal.

Durante algum tempo em 1904 funcionou na casa sede da Fazenda o Colégio Magalhães para meninos e Nossa Senhora Aparecida para meninas.


Fazendas: Santa Cruz, Capão Redondo e Fazenda São Pedro

São vários os irmãos Arantes do João Batista proprietário da Fazenda Conquista:

José Osvaldo (*9/11/1927), José Jorge (*21/11/1937, fazendaSanta Cruz) João Batista (*20/9/1940, fazenda Conquista),Sebastião Romeu (*7/1/1942, que mora em Brasília, e com quem eu me comuniquei), Luiz Fábio (*17/7/1943, fazenda São Pedro que atualmente é uma pousada) e Antonio Carlos (*6/6/1945, fazenda Capão Redondo).

Fazenda do Angaí, na freguesia de Nossa Sra. da Conceição de Ayuruoca,Comarca de Baependi, MG, formada em 1790, pelos primeiros Junqueira (Manoel Francisco ou João Francisco), a fazenda se chamou outrora Angaí da Consquista.

Linda casa de fazenda, muito preservada ela é a residência oficial do Monsenhor Luiz Vieira de Arantes de Aiuruoca. Monsenhor Arantes é 4º neto de Ana do Angaí, tia 5ªavó de Anibal, nascida e batizada na Freguesia dos Prados, termo da Vila de São José, em 1760 c.c. José Garcia Duarte na Capela de São Miguel do Cajurú, que foram os donos da Fazenda do Angaí, no séc. XVIII.

Monsenhor Arantes é 4º neto do Capitão-Mor Antonio de Arantes Marques e sua mulher Ana da Cunha Carvalho, 5ºs avós de Anibal.

Em Vassouras, RJ:

Fazenda Boa Vista do Mato Dentro, fundada por Manoel de Avellar e Almeida, 4ºavô de Aníbal, conforme o Inventário nº 435 da Caixa nº 90 do Centro de Documentação Histórica da Universidade Severino Sombra, de Vassouras informado no livro E o Vale era o escravo, do autor Ricardo Salles. Manoel teve entre filhos e netos os seguintes Titulares do Império: Barão do Ribeirão, Barão de Avellar e Almeida, Barão de Massambará, 2º Barão do Rio das Flores, Visconde de Cananéia, 1ª Baronesa do Rio das Flores e Maria, 1ª mulher do Barão de Werneck. 



Brasão Família Avellar e Almeida (1881)




O Brasão tem um pé de café e uma abelha como arma heráldica e pode ser usado pela Família Avellar e Almeida sem o Coronel (coroa) e a comenda, que são exclusivos do Barão e não são hereditários, conforme as leis de heráldica e do Direito Nobiliárquico: (Fonte Documental: Mário de Méroe, Estudos sobre o Direito Nobiliário, Centauro Editora, São Paulo, 2000, pgs: 25/26).



Vassouras, a Brazilian Coffee County, 1850-1900editado pela Harvard HistoricalStudies,


Fazenda do Barão do Ribeirão



 

Brasão Barão Ribeirão, tio 3ºavô de Anibal



 


Em Araraquara, São Paulo:

Fazenda Baguary, situada no Distrito de Américo Brasiliense, na sesmaria do Rancho Fundo, em Araraquara, SP, e tinha cerca de 400 alqueires paulista. Foi preparada para a cultura do café pelo casal,Joaquim (1866-1937) e Bernardina (1869-1936) Arantes de Almeida, avós de Anibal, que vieram Rio de Janeiro, em 1890, após a queda da Monarquia e a total decadência do café fluminense com a exaustão das terras, que empobreceu as famílias de cafeicultores do Império. No auge da produção teve muitos milhares de pés de café (tia Esther disse que eram 300.000 pés) e ajudou a criar os 12 filhos do casal, entre eles 3 filhos que, após a morte, são nome de rua em Araraquara: Mário Arantes de Almeida (estudou na Bélgica, 1911-1914, advogado pelo Largo de São Francisco, Prefeito de Araraquara e Vereador), Luiz Arantes de Almeida (médico) e Bernardino Arantes de Almeida (advogado).



Foto de 1900 em Araraquara, SP: sentada Bernardina, com Alzira no colo, Mário dando a mão para Joaquim, Maria sentada ao lado de Luisa, em pé.



A foto acima mostra a queima do café da Fazenda Baguary, em 1938, assistida por membros da família Arantes de Almeida num nefasto ritual que se repetia desde o crash da Bolsa de Nova Iorque em 1929.

Na Frente estão sentadas: à esquerda a mãe de Aníbal: Anna, (1907-1987), a tia Alzira (1900-1984), de luto pela morte de vovô Joaquim e uma amiga. Lado Esquerdo em pé, de terno branco e gravata borboleta, tio Orlando (1914-1959). Lado Direito em pé, de calça branca, paletó e chapéu escuros, tio Joaquim (1905-1977) que está atrás de minha irmã Rachel (*1930-2013) e minha irmã Ana Maria (1928-1999) sentadas ao lado de Raphael Luíz, (é filho de Washington Luís Pereira de Souza, 13º Presidente do Brasil), que era colega de tio Orlando no Largo São Francisco, que foi testemunha do nascimento em 1943, em Araraquara, de Washington Luís Pereira de Souza Neto, filho de Raphael Luiz.

Após a morte de Joaquim, (em 1937), a fazenda Baguary foi vendida (em 1938); ainda tinha 90.000 pés de café, 9 grupos de casas de colonos, (com 2 moradias cada grupo), 2 casas para camaradas, casa para administração, casa sede da fazenda, casa de máquina com tulha e máquina de beneficiar café, 120 cabeças de gado vacum, 26 cabeças de porcos, 3 cavalos, um caminhão Chevrolet, um caminhão Graham Brothers, 3 automóveis marca Ford, safra de 2.300 arrobas de café, barracão para veículos e um pomar de 200 jabuticabas.

ANTIGOS DONOS e suas FAZENDAS em Minas Gerais e Rio de Janeiro:

1) 1º barão Cajurú (4º avô de Anibal): Bicas (MG), São Lourenço(RJ).

2) barão do Ribeirão (tio-3º avô de Anibal): (RJ) CachoeiraMato Dentro,Ribeirão Alegre, Retiro.

3) barão de Massambará (primo-irmão do bisavô de Aníbal, João Antonio de Avellar e Almeida): São Luiz de Massambará (RJ).

4) 1º barão do Rio das Flores (tio-2º avô de Anibal): Monte Alverne(RJ) e São Policarpo (RJ), que fora do Visconde do Rio Preto.

5) 1º barão de Cabo Verde (tio-4º avô de Anibal): Paraíba (MG).

6) Capitão-Mor Antonio de Arantes Marques (5º avô de Anibal): Conquista(Aiuruoca MG), até hoje pertence aos Arantes, pois o atual proprietário é o eng. João Batista Arantes, morador no Rio de Janeiro, e 5º neto do Capitão-Mor Antonio de Arantes Marques pelo seu 2º filho Thomas Joaquim, que é seu 4º avô.

7) Manoel de Avellar de Almeida (4º avô de Anibal), filho de Manoel Coelho de Avellar e Maria Rosa de Almeida. Casado com sua prima Susana Maria de Jesus, radicou-se em Sacra-Família, no fim do século XVIII. Fazenda Boa Vista do Mato Dentro, Vasouras, RJ.

8) Marcos Vieira da Cunha (primo): (RJ) Guaritá, Campos Elíseos, Santo Antonio.


9) Visconde de Cananéia: Fazenda Cananéia


10) Visconde Rio Preto foi proprietário de 14 fazendas:

MG: Sta. Quitéria, Montacavalo, Mirante e São Bento

RJ: Loanda, Flores do Paraíso (que hoje está nas mãos de Arantes descendentes do 1º Barão de Cabo Verde, meu tio-tetravô),Criméia, São Leandro, Sta. Tereza, São Policarpo, Sta. Bárbara, União, Sta. Genoveva, Mundo Novo.

Essas 14 fazendas na fase áurea produziam 60.000 arrobas de café por ano, o que dava uma renda anual ao Visconde de US$ 1.725.000(considerando-se a saca de 60 kg. sendo vendida a R$ 230,00 e o US$ valendo R$ 2,00), ou seja, uma verdadeira fortuna para o custo de vida da época !!

 

















 
Os textos desse site podem ser reproduzidos, desde que se informe o autor e o endereço do site.
 
Genealogia e Historia = Autor Anibal de Almeida Fernandes