AUSCHWITZ I, II E III = POLONIA


 ANIBAL DE ALMEIDA FERNANDES, JULHO, 2010


Atualizado, Julho 2016.


O EUROPEU SE REFERE AOS NAZI, NÃO USAM A PALAVRA NAZISTA


A POLÔNIA FOI A GRANDE SURPRESA DA VIAGEM PELA SUA PERSEVERANÇA E OTIMISMO APESAR DE SUA TRÁGICA HISTÓRIA, POIS A POLONIA, AO LONGO DE TODA SUA HISTÓRIA SECULAR FOI INVADIDO, DESTRUÍDO E ROUBADO POR SUECOS, RUSSOS, AUSTRÍACOS, PRUSSIANOS E, FINALMENTE, PELOS NAZISTAS ALEMÃES QUE TRANSFORMAM A POLÔNIA NO DEPÓSITO DE LIXO DA EUROPA NA 2ª GUERRA MUNDIAL USANDO-A DEPOIS DA CONFERENCIA DE WANNSEE, A 20/1/1942, PARA A ELIMINAÇÃO DE JUDEUS, CIGANOS, RUSSOS E HOMOSSEXUAIS, NOS CAMPOS DE EXTERMÍNIO SOB CONTROLE DA SS (TROPA DE PROTEÇÃO = SCHUTZSTAFFEL, SOB O COMANDO SUPREMO DE HEINRICH HIMMLER, QUE TAMBEM DOMINAVA A GESTAPO = POLICIA DE ESTADO SECRETA. A SS NÃO ESTAVA SUBORDINADA À WEHRMACHT = FORÇAS ARMADAS NAZISTAS), ONDE MATARAM COM RAPIDEZ E EFICIÊNCIA ESPANTOSA CERCA DE 6 MILHÕES DE SERES HUMANOS, COMO VOCÊ OU EU.




A ALEMANHA RECONHECE A SUA RESPONSABILIDADE HISTÓRICA PARA MANTER VIVA A MEMÓRIA DO HOLOCAUSTO E PASSÁ-LO PARA AS GERAÇÕES FUTURAS, AFIRMOU O MINISTRO DAS RELAÇÕES EXTERIORES ALEMÃO, GUIDO WESTERWELLE, AUSCHWITZ (A CHEGADA E SELEÇÃO), BIRKENAU (O CREMATÓRIO), BUNA-MONOWITZ (A IG-FARBEN, FÁBRICA DE BORRACHA SINTÉTICA QUE NÃO CHEGOU A PRODUZIR NADA!!), É SINÔNIMO DE CRIMES NAZISTAS. O MEMORIAL DE HOJE RECORDA ESSES CRIMES, SÃO 472 HECTARES DE AUSCHWITZ E DO CAMPO SATÉLITE DE BIRKENAU. (FSP-MUNDO, 17/12/2010).


Na Alemanha no final da guerra, restavam 21.450 dos 600 mil judeus do país. (Roger Cohen, Ago-2015)


O caso envolve um episódio em meados de 1944, quando, durante a chamada "Operação Hungria", chegaram ao campo de concentração e extermínio 425 mil judeus húngaros, dos quais pelo menos 300 mil foram executados nas câmaras de gás. Quase 1,1 milhão de pessoas, incluindo 1 milhão de judeus, morreram de 1940 a 1945 no campo de Auschwitz-Birkenau, libertado pelos soviéticos no fim de 1945. (FSP, Mundo, 16/7/15).


AUSCHWITZ I: "ARBEIT MACHT FREI" (O TRABALHO LIBERTA).



Trajeto dos alojamentos para a Câmara de gás



Câmara de gás



Pátio onde faziam as execuções



Visita do PAPA FRANCISCO - 29/7/2016



ERA UM ANTIGO QUARTEL POLONÊS COM VÁRIOS PRÉDIOS SÓLIDOS DE ALVENARIA DE 3 ANDARES, NUM LINDO LUGAR, NELE FOI FEITA A EXPERIÊNCIA PIONEIRA DE CAMARÁ DE GÁS E CREMATÓRIO. EM SETEMBRO DE 1941, (É ESSA CÂMARA QUE SE VISITA, POIS AS INSTALAÇÕES DE BIRKENAU = 4 CÂMARAS+4 CREMATÓRIOS, FORAM DESTRUÍDAS), A SS REALIZOU NO BLOCO 11 OS TESTES DO GÁS ZYKLON B, QUANDO MORRERAM 850 PRISIONEIROS POLACOS E RUSSOS. NO INÍCIO COMEÇARAM EXTERMINANDO PRISIONEIROS POLÍTICOS E SOLDADOS RUSSOS E DEPOIS, OS JUDEUS, CIGANOS E HOMOSSEXUAIS. APÓS ESSA VISITA EU ENTENDO A PÉRFIDA ESTRATÉGIA DOS NAZISTAS: ELES TORNAVAM A SITUAÇÃO DOS JUDEUS INSUSTENTÁVEL NAS VARIAS CIDADES CONFINANDO-OS NOS GUETOS SUPERPOVOADOS E COM FALTA DE ÁGUA, COMIDA E HIGIENE, DEPOIS VINHAM COM A FANTASIA DE QUE SERIAM TRANSFERIDOS PARA UM LUGAR MELHOR E PARA ISSO DEVIAM PEGAR TUDO QUE TINHAM DE MAIS VALOR E POR EM UMA MALA COM NOME E ENDEREÇO, PARA RESGATAR CASO HOUVESSE EXTRAVIO, NAS CONDIÇÕES DE VIDA QUE TINHAM NO GUETO, EM QUE MORRIAM DE FOME E TIFO, ERA UMA AGRADÁVEL POSSIBILIDADE DE MELHORIA. DEPOIS OS JUDEUS ERAM CONDUZIDOS AOS TRENS ONDE ERAM ACONDICIONADOS COMO SARDINHAS EM LATA, SEM ÁGUA, COMIDA OU VENTILAÇÃO E LEVADOS AOS CAMPOS DE EXTERMÍNIO. OS QUE SOBREVIVIAM AO CHEGAR EM AUSCHWITZ - I ERAM CONDUZIDOS PARA A VISTORIA INICIAL, ONDE UM OFICIAL NAZISTA DECIDIA QUEM ERA APTO AO TRABALHO,  IA PARA BUNA-MONOWITZ = AUSCHWITZ - III, (QUE INICIOU SUAS OPERAÇÕES EM MAIO DE 1942. ESTE CAMPO ESTAVA ASSOCIADO COM A EMPRESA IG FARBEN PARA PRODUZIR  BORRACHA SINTÉTICA) OU QUEM DEVERIA MORRER IMEDIATAMENTE, IA DIRETO PARA BIRKENAU,  E SEPARAVAM AS FAMÍLIAS SEM NENHUMA CONSIDERAÇÃO.  HÁ INTERVALOS REGULARES O PESSOAL MÉDICO DE BIRKENAU=AUSCHWITZ - II, FAZIA SELEÇÕES SANITÁRIAS A FIM DE ENVIAR OS DOENTES E OS FRACOS PARA AS CÂMARAS DE GÁS DE BIRKENAU. AS MALAS ERAM CONFISCADAS E FAZIA-SE A ANÁLISE DO MATERIAL POR JUDEUS QUE ERAM ESCOLHIDOS E SUBSTITUÍDOS DE TEMPO EM TEMPO; ERAM CHAMADOS KAPOS, ELES COMIAM UM POUCO MELHOR E A SS OS SELECIONAVAM  PARA FISCALIZAR OS RESTANTES, MAS OS KAPOS ERAM ELIMINADOS A CADA 4 MESES, POIS CONHECIAM O GRANDE SEGREDO DA ELIMINAÇÃO. TODOS OS PRISIONEIROS DO CAMPO REALIZAVAM TRABALHOS DE MANUTENÇÃO, EXCETO NAS FÁBRICAS DE ARMAS. O DOMINGO ERA RESERVADO PARA LIMPEZA COM DUCHAS E NÃO HAVIA TRABALHO. AS SEVERAS CONDIÇÕES DE TRABALHO, UNIDAS À DESNUTRIÇÃO CRÔNICA (DESVIAVAM A COMIDA POR CORRUPÇÃO) E POUCA HIGIENE, FAZIAM COM QUE A TAXA DE MORTALIDADE ENTRE OS PRISIONEIROS FOSSE MUITO ELEVADA, POR TIFO E DIARRÉIA. O BLOCO 11, DE AUSCHWITZ – I, ERA A PRISÃO DENTRO DA PRISÃO E ALI SE APLICAVAM OS CASTIGOS DOS REBELADOS. ALGUNS DELES CONSISTIAM EM PRENDER OS ACUSADOS POR VÁRIOS DIAS EM CELA DEMASIADO PEQUENA PARA SENTAR-SE, POIS EM 1m2 ENFIAVAM 4 PRISIONEIROS E ALGUMAS CELAS NÃO TINHAM VENTILAÇÃO, OS PRISIONEIROS FICAVAM PRESOS ATE UMA SEMANA, E ALGUNS MORRIAM. OUTROS ERAM EXECUTADOS, PENDURADOS OU DEIXADOS A MORRER DE FOME. VISITAMOS A SALA ONDE ERAM JULGADOS OS PRISIONEIROS POLÍTICOS E O PÁTIO, ONDE ESTÁ O MURO ONDE ERAM FUZILADOS. VISITAMOS O ALOJAMENTO PADRÃO COM 3 ANDARES E APENAS 22 WCs  ONDE SE ALOJAVAM 1.000 PRISIONEIROS CADA UM. EM CADA ALOJAMENTO ESSES 1.000 PRISIONEIROS TINHAM APENAS 15min PARA SUA HIGIENE MATINAL NESSES 22 WCs, OU NÃO HAVIA TEMPO PARA COMER.  DE TEMPOS EM TEMPOS ERAM AVISADOS QUE IAM TOMAR UM BANHO, O QUE DEVERIA SER UMA BOA E FORMIDÁVEL SURPRESA, CONSIDERANDO AS CONDIÇÕES MISERÁVEIS DE HIGIENE. SELECIONAVAM OS LOTES DE PRISIONEIROS PARA O BANHO E ELES IAM ANDANDO NUM TRAJETO DE 200 A 300 METROS, (FIZEMOS ESSE TRAJETO, NUM GRUPO GRANDE, ONDE HAVIA JOVENS JUDEUS VISITANTES DO MUNDO INTEIRO ACOMPANHADOS POR RABINOS), ATRAVESSANDO AS CERCAS DUPLAS DE ARAME FARPADO (ONDE OS GUARDAS E SEUS PASTORES ALEMÃES CIRCULAVAM) ATÉ CHEGAR NA DISTANTE SALA DE BANHO (ENTRAMOS NELA, É MUITO MENOR E MAIS BAIXA DO QUE PENSEI) AÍ, OS MANDAVAM SE DESPIR E ENTRAR NA SALA, A PORTA ERA FECHADA, CAIA ÁGUA DO TETO QUE REAGIA COM O GÁS E MATAVA QUASE INSTANTANEAMENTE. DEPOIS DE MORTOS ERAM REMOVIDOS PELOS KAPOS, QUE RETIRAVAM TUDO DE VALOR DOS CORPOS (DENTES DE OURO E JOIAS) E OS LEVAVAM PARA OS CREMATÓRIOS (ESTIVEMOS NOS 2 CREMATÓRIOS QUE FORAM RECONSTRUÍDOS EM AUSCHWITZ).


Auschwitz - alojamentos e o trajeto para a câmara de gaz



 


ATUALMENTE NADA HÁ NOS ALOJAMENTOS, APENAS FOTOS DA CHEGADA DOS MILHARES DE SERES HUMANOS, DOS CORPOS ESQUÁLIDOS ENCONTRADOS SEMIMORTOS QUANDO OS SOLDADOS ALIADOS ENTRARAM OU DOS CADÁVERES ESPALHADOS PELO CAMPO EM FOTOS TIRADAS PELOS SOLDADOS. NAS ENORMES VITRINES DOS ALOJAMENTOS SE VEEM OS MILHARES DE SAPATOS (CRIANÇAS E ADULTOS) AS MALAS COM OS ENDEREÇOS, AS ESCOVAS DE DENTE E CABELO, (OS CABELOS CORTADOS DAS MULHERES) E A MAIS MACABRA DE TODAS AS VITRINES:PEÇAS DE DECORAÇÃO, TECIDOS E ABAT-JOURS FEITOS COM PELE HUMANA E CABELOS (QUE TAMBEM ERAM USADOS PARA FAZER MEIAS DOS MARINHEIROS DE SUBMARINO).  FOMOS TAMBÉM A BIRKENAU = AUSCHWITZ - II, (QUE FICA A 3km DE AUSCHWITZ),  CONSTRUÍDO DURANTE O INVERNO DE 1941-42 POR PRISIONEIROS SOVIÉTICOS, (EX-SOLDADOS DO EXÉRCITO VERMELHO, QUE FORAM POSTERIORMENTE EXECUTADOS PELOS ALEMÃES), O CAMPO FOI CONSTRUÍDO APRESSADAMENTE COM BARRACÕES DE MADEIRA BASTANTE BAIXOS, QUE GELAVAM NO INVERNO DE 20º GRAUS NEGATIVOS, MATANDO OS PRISIONEIROS MAL ALIMENTADOS E SEM ROUPA ADEQUADA (ENTREI NUM DELES CHEIO DE FRESTAS, POR ONDE ENTRAVA O VENTO E O FRIO). A CONSTRUÇÃO INICIOU-SE EM 1941 COMO PARTE DA ENDLÖSUNG DER JUDENFRAGE (SOLUÇÃO FINAL, RESOLVIDA NA CONFERENCIA DE WANNSEE EM 1942).


Entrada de Birkenau




BIRKENAU TINHA ÁREA DE 2,5 POR 2km E ESTAVA DIVIDIDO EM VÁRIAS SEÇÕES/CAMPOS. OS CAMPOS, COMO O COMPLEXO INTEIRO, ESTAVAM RODEADOS DE ARAME FARPADO E CERCAS ELÉTRICAS (ALGUNS PRISIONEIROS UTILIZARAM-NAS PARA COMETER SUICÍDIO). O CAMPO ALBERGOU ATÉ 100.000 PRISIONEIROS EM DADO MOMENTO. O OBJETIVO PRINCIPAL DE BIRKENAU NÃO ERA O DE MANTER PRISIONEIROS COMO FORÇA DE TRABALHO (CASO DE AUSCHWITZ I E III), MAS SIM DE EXTERMINÁ-LOS, ERA UM CAMPO DE EXTERMÍNIO COM SEUS 4 CREMATÓRIOS, 2 GRANDES COM CÂMARAS DE GÁS PARA 2.00O PESSOAS CADA, E 2 PEQUENOS, OS FORAM 4 PRODUZIDOS PELA FIRMA TOPF UND SÖHNE COM CAPACIDADE, CADA UM, PARA 768 CORPOS A CADA 24h, QUE PODIA SER AMPLIADO PARA ATÉ 1.500 CORPOS (As Benevolentes, de Jonathan Littell, em especial pgs 538 e 562/563). AS CÂMARAS DE GÁS E TODOS OS CREMATÓRIOS DE BIRKENAU FORAM DESTRUÍDOS PELOS NAZISTAS EM 17/1/1945 COM A INTENÇÃO DE ESCONDER AS ATIVIDADES DO CAMPO DAS TROPAS SOVIÉTICAS.


Vista de Birkenau



NA INVASÃO DA HUNGRIA NO COMEÇO DE 1944, OS ALEMÃES PRETENDIAM TRANSPORTAR OS JUDEUS HÚNGAROS QUE AINDA ESTAVAM EM BOM ESTADO, UMA VEZ QUE OS HÚNGAROS NÃO OS TINHAM PERSEGUIDO, PARA TRABALHO NO ESFORÇO DE GUERRA COORDENADO PELO REICHSMINISTER ALBERT SPEER, O ARQUITETO DE HITLER, QUE VIRARA UM HOMEM FORTE NO GOVERNO E ESTAVA PRODUZINDO OS FOGUETES V2, UMA FORMIDÁVEL ARMA ALEMÃ QUE DEVASTAVA LONDRES, PARA ISSO FORAM ENCAMINHADOS MAIS DE 430.000 JUDEUS PARA AUSCHWITZ, SOB O CONTROLE DE EICHMANN QUE ERA O RESPONSÁVEL POR TODA A OPERAÇÃO HÚNGARA, MAS QUE FAZIA VENDA DE JUDEUS, COMO OS 18.000 JOVENS JUDEUS VENDIDOS POR 5 MILHÕES DE FRANCOS SUÍÇOS PARA TRABALHAR EM VIENA. DESTE TOTAL DE MAIS DE 430.000 APENAS 50.000 CHEGARAM EM CONDIÇÕES DE TRABALHO, OS DEMAIS MORRERAM NA VIAGEM OU EM AUSCHWITZ, QUE ESTAVA COM OS CREMATÓRIOS TÃO SOBRECARREGADOS QUE FOI NECESSÁRIO ABRIR FOSSOS ONDE OS JUDEUS ASSASSINADOS A TIRO ERAM QUEIMADOS COM PETRÓLEO EM ENORMES FOGUEIRAS DIA E NOITE (As Benevolentes, de Jonathan Littell, em especial pgs 702/3, 718/19/20, 728/9, 734/5/6, 770/1)



CONFORME O MUSEU DE BIRKENAU FORAM ELIMINADOS NO CAMPO: 1 MILHÃO DE JUDEUS, 75 MIL POLONESES, 21 MIL CIGANOS, 15 MIL SOVIÉTICOS, 15 MIL DE VARIADAS NACIONALIDADES.


ANTES DA DERROCADA FINAL, COM OS RUSSOS SE APROXIMANDO OS NAZISTAS TENTARAM LEVAR OS 67.000 PRISIONEIROS REMANESCENTES DO COMPLEXO DE AUSCHWITZ POR ESTRADAS E TRENS PARA A ALEMANHA, POIS A ORDEM ERA NÃO DEIXAR SOBREVIVENTES, OU INSTALAÇÕES DE GAZ E CREMATÓRIOS, QUE PUDESSEM SERVIR DE PROVA DA BARBÁRIE QUE LÁ ACONTECERA. OS ALEMÃES FORÇARAM A MAIORIA DOS PRISIONEIROS A PARTIR PARA O OESTE EM PLENO INVERNO SEM COMIDA OU AGASALHOS, PORÉM QUASE TODOS MORRERAM NESSA MARCHA FINAL. AQUELES MUITO FRACOS PARA CAMINHAR FORAM DEIXADOS PARA TRÁS. PERTO DE 7.500 PRISIONEIROS (OU 3.000 SEGUNDO OUTRAS FONTES), PESANDO ENTRE 23 E 35KG, FORAM LIBERADOS PELOS RUSSOS EM 27/1/ 1945.


AUSCHWITZ (A CHEGADA E SELEÇÃO INICIAL), BIRKENAU (O CREMATÓRIO QUE FUNCIONAVA DIA E NOITE), BUNA-MONOWITZ (NESTA FÁBRICA DE BORRACHA SINTÉTICA QUE NÃO CHEGOU A PRODUZIR NADA!! OS PRISIONEIROS JUDEUS FICAVAM EM ALOJAMENTOS DE MADEIRA PARA 250 PESSOAS, DISTRIBUÍDOS EM FILEIRAS DE 3 BELICHES SUPERPOSTOS ONDE EM CADA CAMA DORMIAM 2 PRISIONEIROS), NOS 3 LOCAIS COEXISTIAM, SIMULTANEAMENTE, CERCA DE 40.000 PRISIONEIROS, SEMPRE RENOVADOS COM AS CHEGADAS SUCESSIVAS DOS PRISIONEIROS PELOS TRENS EM AUSCHWITZ,  VINDOS DE TODA A EUROPA, POIS AS SUB-CONDIÇÕES DE VIDA  FAZIA OS PRISIONEIROS RESISTIREM ENTRE 3 A 4 MESES, NO MÁXIMO (Primo Levi, é isso um homem??, Editora Rocco, Ltda)


1.500.000 DE SERES HUMANOS NESSES 3 CAMPOS FORAM ELIMINADOS DESSA MANEIRA. NÃO SE ENTENDE ESSA LOUCURA COLETIVA E ESSA INÉRCIA DOS ALIADOS, POIS OS ALIADOS TINHAM INFORMAÇÃO AÉREA DETALHADA DOS CAMPOS DESDE MAIO DE 1944.


DOIS PRISIONEIROS QUE CONSEGUIRAM FUGIR, (RUDOLPH VRBA E ALFRED WETZLER), TINHAM REUNIDO DESCRIÇÕES PRECISAS E MAPAS QUE CHEGARAM AOS ALIADOS DURANTE O VERÃO DE 1944.


EM 13/7/1944, BOMBARDEIROS DOS ESTADOS UNIDOS ATACARAM A FÁBRICA DA BUNA WERKE ASSOCIADA COM AUSCHWITZ - III, DESTRUINDO-A PARCIALMENTE, PORTANTO ERA IMPOSSÍVEL QUE SE DESCONHECESSE O QUE ACONTECIA, UMA VEZ QUE A FUMAÇA DAS CHAMINÉS DOS CREMATÓRIOS ESCURECIA OS CÉUS E AS CINZAS TINGIAM OS CAMPOS, ALÉM DO CHEIRO FORTE ADOCICADO E NAUSEABUNDO (COMO DE VELAS DE IGREJA FEITA COM GORDURA ANIMAL) QUE FICAVA NO AR.


NÃO HÁ COMO ENTENDER, OU COMO ACEITAR, QUE HOMENS TRANSFORMARAM HOMENS EM SUCATA SEM NENHUM RESQUÍCIO DE COMPAIXÃO OU DÚVIDA, É O MAL ABSOLUTO OU A BANALIZAÇÃO DO MAL DE HANNAH ARENDT.


 RESUMO:


DEPOIS DE SUA 1ª EXPERIÊNCIA COM DACHAU: Campo de concentração de Dachau foi construído em 1933 pelos nazistas em uma antiga fábrica de pólvora próxima a cidade de Dachau, cerca de cinco quilômetros ao norte de Munique, no sul da Alemanha. A IDEIA DOS KONZENTRSTIONSLAGER (KL) EVOLUIU PARA OS 6 CAMPOS DE EXTERMÍNIO:


1] COMPLEXO DE AUSHWITZ-BIRKENAU: TEXTO ANTERIOR


2] LUBLIN-MAJDANEK: A cidade serviu como quartel-general alemão para a Operação Reinhard, o principal esforço alemão para exterminar os judeus na Polônia ocupada. A população judia de Lublin foi forçada a se estabelecer no gueto de Lublin, ao redor da área de Podzamcze. A maioria dos habitantes do gueto, aproximadamente 26 000 pessoas, foi deportada para o campo de extermínio de Belzec entre 17 de março e 11 de abril de 1942. O restante foi enviado para instalações ao redor de Majdanek e um grande campo de concentração foi criado nos arredores da cidade. A maioria dessas pessoas foi morta no final da guerra.


3] TREBLINKA: foi o quarto campo de extermínio alemão onde judeus foram exterminados em câmaras de gás alimentadas por motores a explosão localizado nos arredores da cidade de Treblinka, na Polônia ocupada pelos alemães. Também foi o primeiro campo de mortealemão onde ocorreu a cremação dos cadáveres a fim de ocultar o número de pessoas mortas. Neste campo foi criado um sistema de trabalho (sonderkommando) onde os judeus eram incumbidos de receber os comboios que chegavam, conduzir os deportados para as câmaras de gás, retirar os cadáveres, extrair os dentes de ouro, e proceder a cremação


4] SOBIBOR: foi também o sítio da única revolta bem sucedida de prisioneiros de um campo alemão. A 14/10/1943, membros da revolta conseguiram matar secretamente 11 dos guardas da SS e alguns guardas ucranianos também. Apesar do plano ter sido matar todos os guardas alemães da SS e sair pela porta principal do campo, as mortes foram descobertas e os prisioneiros tiveram de correr pelas suas vidas em todas as direções. Dos cerca de 600 prisioneiros do campo, usados como escravos, cerca de 300 conseguiram fugir. A maior parte deles foi cercada e assassinada nos dias subsequentes, mas cerca de 50 prisioneiros conseguiram sobreviver à II Guerra Mundial. Esta fuga forçou os alemães a fechar o campo. Eles desmantelaram-no e plantaram uma floresta no local para tentar esconder o que se tinha passado ali.


5] BELZEC:  was the first of the NaziGermanextermination camps created for the purpose of implementing the secretive Operation Reinhard, the plan to eliminate Polish Jewry, a key part of the "Final Solution" which entailed the murder of some 6 million Jews in the Holocaust. The camp operated from 17/March/1942 to the end of 000000001942-12-01-0000December 1942. It was situated about 0.5 km (0.31 mi) south of the local railroad station of Belzec in German-occupied Poland, in the new Distrikt Lublin of the semi-colonial General Government territory. The burning of exhumed corpses on five open-air grids and bone crushing continued until March 1943. Between 430,000 and 500,000 Jews are believed to have been murdered by the SS at Belzec. Only seven Jews performing slave labour with the camp's Sonderkommando survived World War II; and only one of them, became known from his own postwar testimony submitted officially. The lack of viable witnesses who could testify about the camp's operation is the primary reason why Belzec is so little known despite the enormous number of victims. 


6] CHELMMO: também conhecido como campo de concentração de Kulmhof, foi um campo de extermínionazista situado a 50 quilômetros de Lódz, próximo a uma pequena vila chamada Chelmno nad Nerem. Após a anexação da Polônia pela Alemanha, Chelmno foi incluído em 1939 no Reichsgau Wartheland. O campo foi aberto em 1941 para matar os judeus do Gueto de Lódz e de Warthegau. 300.000 judeus e poloneses foram assassinados no campo, todos do Gueto de Lódz e regiões vizinhas, juntamente com 5.000 ciganos da Grande Polônia, judeus húngaros, checos, e prisioneiros de guerrasoviéticos. 


FATOS RELATADOS POR CLOVIS ROSSI FSP-29/7/16


1] uma placa no Museu Judaico de Cracóvia registra um diálogo imaginário entre mãe e filha em que a menina diz: "Mamãe, quando eles nos matarem, vai doer?". A mãe responde: "Não, queridíssima, não vai doer, vai levar só um minuto". Comentário abaixo do diálogo: "Pode ter levado só um minuto, mas foi o suficiente para nos manter despertos até o fim dos tempos".


Profético: A dor pelo assassinato de 1,1 milhão de judeus só no complexo Auschwitz-Birkenau, perto de Cracóvia, perdura até hoje na alma dos judeus, como deveria perdurar na alma da humanidade. Não foi um crime só contra os judeus, o que já seria intolerável, mas contra a condição humana.


Não apenas porque em Auschwitz-Birkenau morreram também entre 140 mil e 150 mil poloneses, 23 mil ciganos, 15 mil prisioneiros de guerra soviéticos e 25 mil pessoas de outras etnias. Mas principalmente porque uma máquina meticulosa de matar despojou da condição humana todas essas pessoas e milhões mais em outros pontos da Europa.


2] "Quem perde tudo muitas vezes perde a si mesmo", escreveu Primo Levi, judeu italiano, prisioneiro de Auschwitz, um sobrevivente que é talvez o mais completo narrador dos horrores do campo. Levi escreveu também que quem esteve em Auschwitz nunca conseguirá sair e quem não esteve nunca conseguirá entrar.



3] Por isso, vale a frase do filósofo espanhol Jorge de Santayana y Borrás (mais conhecido como George Santayana), gravada na entrada do "Bloco 4" de Auschwitz: "Quem não relembra a História está condenado a vivê-la de novo".


 


 


 


 
















 
Os textos desse site podem ser reproduzidos, desde que se informe o autor e o endereço do site.
 
Genealogia e Historia = Autor Anibal de Almeida Fernandes