Brasão de Elizabeth 2ª


INGLATERRA: Casa Real e porque Camila Parker-Bowles,


jamais será Rainha


Tudor>Stuart>Sax Coburgo>Windsor


 Aníbal de Almeida Fernandes, atualizado Fevereiro, 2013.


Uma curiosidade histórica: alguns historiadores sérios avaliam que o fato que facilitou a independência dos EUA em 1776 foi a situação existente na Inglaterra, pois o rei que estava no trono inglês, na época, era um príncipe eleitor, totalmente alemão, do Principado independente de Hanôver, George Lewis que, em 1714, assume o trono inglês como George I, por ser bisneto de Jaime I, Stuart, (Jaime VI da Escócia), que assumiu o trono da Inglaterra depois da morte de Elizabeth 1ª, a última monarca da Dinastia Tudor, (um descendente da Casa de Hanover é o atual marido de uma das princesas de Mônaco).


George I sucedeu à rainha Ana I da Grã-Bretanha, Stuart, morta sem descendentes. Seus direitos à coroa baseavam-se no fato de ser, por sua mãe Sofia de Hanôver, bisneto de Jaime VI Stuart (1566-1625) Rei da Escócia de1567 a 1625, que se tornou Jaime I de Inglaterra e Irlanda em 1603. Ele não falava inglês de maneira fluente; falou sempre seu alemão nativo, e por isto se tornou ridículo ante seus súditos britânicos e manteve o Principado de Hanover ligado à Coroa inglesa até 1837, na coroação da Rainha Vitória, quando Hanôver, volta a ser independente. Durante seu reinado, o poder da monarquia diminuiu; pois desenvolveu-se o moderno sistema de governo por Gabinete


George I foi mandado às pressas para Londres, sem falar nada de inglês e não conhecendo nada da Inglaterra, ele foi imediatamente odiado pela alta nobreza inglesa que, em irritada represália, fez corpo mole nas lutas da independência americana e deu no que deu com a animada ajuda da França que sempre aproveita as oportunidades para conflitar com a Inglaterra (esta ajuda aos americanos contra os ingleses apressou a queda de Luiz XVI, pois a França na ajuda torrou um monte de dinheiro que já não tinha mais, uma vez que as finanças do país, na pré revolução francesa, estavam periclitantes!!). Durante os últimos anos do reinado de George I, o poder de fato esteve nas mãos de seu Primeiro Ministro, sir Robert Walpole.


A Rainha Vitória (rainha de 1837 a 1901), casa com Alberto (alemão) da Casa Real de Saxe-Coburgo-Gota: que é um ramo da Dinastia Wettin, da Saxônia na Alemanha, (capital Dresden que foi destruída pelos ingleses e americanos no fim da 2ª Guerra Mundial). A Casa Real de Saxe-Coburgo-Gota, assume o trono da Inglaterra por meio dos descendentes de Alberto de Saxe-Coburgo-Gota, primo-irmão e marido da Rainha Vitória (cuja mãe era Saxe Coburgo); foi seu neto, George V do Reino Unido (1911-1936), (avô de Elizabeth 2ª), que mudou o nome da família real inglesa de Saxe-Coburgo-Gota para Windsor a 17/7/1917, abandonando todos os títulos honoríficos alemães em 1917, temendo a onda de ódio aos alemães causada pela 1ª Grande Guerra, entre os ingleses.


O 1º filho de George V, o famoso e desastrado, Edward, que é o Rei Eduardo VIII, que era tio da atual rainha Elizabeth 2ª, foi obrigado a abdicar do trono em dezembro de 1936, virando Duque de Windsor. Ele renunciou ao trono para se casar com a divorciada americana Wallis Simpson para escândalo e desprezo da aristocracia inglesa, que nunca a aceitou na corte. Ele era escandalosamente pró Hitler antes do começo da 2ª Guerra Mundial. Em 1937 Edward, já como Duque de Windsor e sua mulher Wallis visitaram Hitler. Há outra interpretação: Eduardo VIII foi posto fora do trono a toque de caixa para garantir a continuidade da monarquia inglesa que estava ameaçada em sua sobrevivência pelos irritados ingleses contrários à fascinação de Edward por Hitler. O irmão mais moço dele, gago, tímido e despreparado, o pai da Elisabeth 2ª foi, rapidamente, posto no trono como George VI, para evitar o esfacelamento da monarquia, quando morreu, em 1952, foi substituído pela filha Elizabeth 2ª, até hoje firme no trono para desespero do seu herdeiro Charles.


A mãe de Elizabeth 2ª, a centenária Rainha mãe Elisabeth, era muito viva/esperta/inteligente e durante os terríveis bombardeios de Londres na 2ª Guerra Mundial apesar de aconselhada pelo Parlamento para ir para o Canadá, optou por ficar com as 2 filhas em Londres apesar de todo o perigo dos bombardeios e conseguiu, com essa corajosa atitude, a recuperação do prestígio e o respeito aos Windsor, pelos britânicos que passaram a idolatrá-la pela coragem e bravura que ela demonstrou. Ela morreu com mais de 100 anos e era chegadíssima num Gin.


A Rainha mãe Elisabeth, era de família inglesa da gema, os Bowles, pertencendo ao ramo protestante Bowles-Lyon e era madrinha, e também prima do Capitão Andrew Parker-Bowles, que é do ramo católico Parker-Bowles.


Esse Capitão Andrew Parker-Bowles foi o 1º marido de Camila Shand, totalmente plebéia, porem de família católica muito bem relacionada sempre freqüentando a alta aristocracia e o trono inglês. Camila e Charles foram caso mesmo antes de Diana Spencer ter sido a noiva de conto de fadas do príncipe Charles, com toda a triste história de brigas, separação e morte que se seguiu.


Camila Shand, finalmente, se casou com o príncipe Charles, num casamento morganático (que inviabiliza o acesso dela ao trono) ganhando apenas o título de Duquesa da Cornualha [que é o mais antigo ducado inglês criado em 1337 por Eduardo III para seu filho mais velho o Príncipe Negro]


Assim sendo, Camila Shand será sempre apenas Princesa Real Consorte, nunca podendo ser Rainha da Inglaterra.


Kate Middleton


Vinte e nove anos após o casamento de Charles e Diana, o Reino Unido aguarda o anúncio de noivado do herdeiro real príncipe William e sua namorada, Kate Middleton, que estão juntos há mais de seis anos. A imprensa diz que os preparativos para a ocasião estão em curso e que a data do casamento deve ser anunciada em breve, após a Copa. "William sempre disse que estaria pronto para casar depois de seu aniversário de 28 anos" -comemorado hoje-, disse recentemente à revista britânica "Star" o biógrafo do príncipe, Nicholas Davies. Middleton, 28, conheceu William em 2003, na Universidade St. Andrews, e trabalha no negócio de sua família, uma empresa de acessórios para festas. Sua família de classe média -a mãe era aeromoça, e o pai, comissário de aeroporto, supostamente enriqueceu com o empreendimento. Middleton é discreta e não dá entrevistas, apesar de aparecer publicamente com William, o segundo na linha de sucessão do trono britânico e, atualmente, oficial da Força Aérea do país. Outro motivo para que aumentem as apostas para um noivado iminente é que passou a turbulência decorrente das eleições britânicas, que deram a David Cameron (primo em 5º grau da Rainha Elizabeth) o posto de premiê. Em tempos de crise financeira, alguns jornalistas que cobrem a realeza duvidam que um eventual casamento tenha a pompa da união de Charles e Diana, em 1981. Mesmo assim, acreditam que a boda seria a distração ideal para os problemas econômicos do Reino Unido.


KATE MIDDLETON = GASPARI FSP 20/6/10


Se os santos ajudarem, após a Copa o mundo poderá receber um novo motivo para sonhar. É possível que no mês que vem a Casa Real inglesa anuncie o noivado do príncipe William com sua namorada, Kate Middleton. Como na Copa, resta torcer. A moça tem 28 anos. Os dois se conheceram na faculdade e estão juntos há cerca de seis anos. Ela frequentou alguns eventos públicos com o namorado e é protegida pelo dispositivo de segurança da realeza


A morena é classuda, mas tem pouco a ver com a ingenuidade aristocrática de Diana, a mãe do príncipe William. A ascendência de Kate fará a alegria da patuleia. Ela é filha de uma aeromoça com um comissário de aeroporto. Pelo lado paterno, descende de uma velha família da classe média do interior. Pelo materno, vem de famílias de mineiros e trabalhadores que migraram para os bairros miseráveis de Londres, gente que morria de doenças pulmonares, deixando a descendência na penúria. Um de seus ascendentes passou um tempo na cadeia. Kate pertence à nobiliarquia da construção civil. Foram pelos menos três gerações de pedreiros. Seu bisavô foi estucador, enfeitando salões das casas de famílias endinheiradas com querubins e flores de gesso. Morreu cedo e a mulher empregou-se numa fábrica de alimentos. Um avô materno da jovem que poderá ser coroada rainha da Inglaterra era carpinteiro e vivia com a família numa área onde hoje se chocam skinheads e imigrantes asiáticos. Sua mulher, Dorothy, descendia da cepa dos mineiros e ajudava as contas da casa trabalhando como vendedora. A ela se deve a garra que levou a filha Carole a uma boa educação e a neta à Universidade St. Andrew, onde conheceu o príncipe William. Kate soube se preparar para viver no ninho de cobras da Casa de Windsor. Nunca deu entrevista.


(Nos anos 70, num bairro pobre de Chicago, o zelador Robinson e sua mulher, a secretária Marian, descendentes de escravos, pagavam as contas de Princeton para os filhos Craig e Michelle, endividando-se no cartão de crédito. Hoje Marian, viúva, vive na Casa Branca, cuidando das netas Sasha e Malia).


 


 


 
















 
Os textos desse site podem ser reproduzidos, desde que se informe o autor e o endereço do site.
 
Genealogia e Historia = Autor Anibal de Almeida Fernandes