Avós de Anibal de Almeida Fernandes: abordagem numérica


Richard Dawkins (The Ancestor’s Tale) afirma que, todos nós somos primos de milésimo grau, há 1.000 gerações atrás, em 30.000 a.C. por considerar que algumas linhagens humanas ficaram isoladas na Oceania e Américas o que atrasou e dificultou a miscigenação entre elas. Isso se entende/aceita ao se analisar matematicamente a enorme/incrível/bíblica quantidade de avós que não necessários para nos fazer nascer. Haja vista minha progênie até Dom Afonso Heriques, (*1109 +1185), 1º Rei de Portugal no Sec. XII, que é um dos  536.870.912/27º avós,  sim!!  mais que 536 milhões de avós, que foram necessários em 835 anos de história para me fazer nascer no Sec. XX. Fiz a análise até meu 50ºavô, Teodorico I (*350), mais de 1 quatrilhão de avós!!!!!!!!!!


*Pai: Anibal de Barros Fernandes e mãe: Anna Arantes de Almeida


*1os avós/4, João Antonio/Ana Joaquina + Joaquim/Bernardina.


*2os avós/8, Antonio/Ana e André/Maria Francisca+Albino/Antonia e João Antonio/Ana.


*3os avós/16, entre eles: Antonio José/Luisa Maria, Joaquim/Ana, José/Maria do Carmo.


*4os avós/32, um deles é o 1º Barão de Cajurú, (1797-1869) e sua mulher Ana Inácia Ribeiro do Valle (1804-1889) São João d‘El Rei-Andrelandia, MG, Brasil e outro deles é Manoel de Avellar e Almeida (1767-1848) Açores/Vassouras/RJ.


*5os avós/64, um avô é o Capitão-Mor de Aiuruoca, Antonio de Arantes Marques, (1738-1801), Portugal e fundador da fazenda Conquista em 1768, em Aiuruoca, MG, até hoje nas mãos da família Arantes e casado com Ana da Cunha Carvalho, Brasil, outro avô é o Alferes Manoel Coelho de Avellar (AGL, Vol. 4, 1952, pg. 176, item 47), Açores, outro avô é o Capitão Inácio Ribeiro do Valle, (1783-1853) Andrelândia, MG, outro avô é Caetano de Carvalho Duarte Filho c.c. Ana Joaquina da Costa.


*6os avós/128, um dos casais é o Coronel Antonio da Cunha Carvalho de Aiuruoca e sua mulher Bernarda Dutra da Silveira nascida em Barbacena, Brasil, outro casal é Caetano de Carvalho Duarte (1702-1784) c.c. Catarina de São José filha de Antonia da Graça (3 Ilhoas).


*7os avós/256, uma avó é Antonia da Graça, nascida em 21/2/1687, uma das 3 Ilhoas de São João d’El Rei, MG, outra delas é Florência Francisca das Neves de Barbacena, Brasil e outro avô é Francisco de Arantes (f. 6/4/1733), Portugal.


*8os avós/512, um avô é André Ribeiro do Valle, nasc. 24/5/1675, em Valongo, Porto, Portugal, e falecido em São João d’El Rei em 1721, membro da Câmara Municipal, e sua mulher Tereza de Moraes, São Paulo. Outro avô é Manoel de Moraes c.c. Josepha da Costa, Pg 56, Vol VII SL.


*9os avós/1.024, uma avó é Maria de Arantes casada a 12/8/1624, com Manoel Lopes e outra é Izabel de Moraes de Antas c.c. Pedro de Fontes Garcia, Pg 56, Vol VII SL.


*10os avós/2.048, um avô é Accenço de Moraes d'Antas c.c. Maria de Siqueira Baruel, Pg 56, Vol VII SL, São Paulo, Brasil, outra avó é Margarida de Arantes a 14/8/1585 c.c. Gaspar Rodrigues.


*11ºs avós/4096, um avô é Balthasar de Moraes de Antas (filho do 1º Balthazar), c.c. Ignez Rodrigues, Pg 25, Vol VII SL


*12os avós/8.192, um avô é Balthasar de Moraes de Antas, nasc. 1537, Portugal, Pg 3 Vol, VII SL veio para o Brasil em 1556 dono de terras no Ipiranga em 1560, ele tem Confirmação de Nobreza e pureza de sangue reconhecida pelo Ouvidor Geral da Bahia a 23/11/1580 e registrada na Câmara de São Paulo, em 1670. Foi Juiz em São Paulo a partir de 1579 onde se casou com Brites Rodrigues Annes, Santo André, Brasil, outra avó é Violante de Arantes, f. 12/6/1622, casada com Simão Gonçalves, Senhor da Quinta da Espinheira, Portugal.


*12os avós/8.192, um avô é Diogo de Arantes nascido em Portugal, Morador da Casa Real, Senhor da Quinta de Romay, Escudeiro Fidalgo do Rei D. Manoel (1469-1521).


*13os avós/16.384, um avô foi João de Arantes, nascido em Portugal cerca de 1460, Morador da Casa Real, Senhor da Quinta de Romay, Escudeiro Fidalgo de sangue e espada do Rei João II (1455-1495) e foi designado Condestável (= Ministro da Guerra) deste Rei a partir de 2/1/1488.


*14º avós/32.768


*15º avós/65.536


*16º avós/131.072


*17º avós/262.144


*18º avós/524.288


*19º avós/1.048.576


*20o avós/2.097.152


*21o avós/4.194.304


*22º avós/8.388.608


*23º avós/16.777.216


*24º avós/33.554.432


*25º avós /134.217.728, uma avó é Urraca Mendes de Bragança (Anuário Genealógico Latino, Vol. 4, IGB, 1952, pg. 76, item 47), pesquisa do primo genealogista, José de Avellar Fernandes).


*26º avós/268.435.456, um avô é Mendo Fernandes de Bragança, neto de Afonso VI, que foi Rico-Homem e Alferes-Mor de seu primo-irmão de Afonso Henriques, (1109-1185), 1º Rei de Portugal a 25/7/1139, da dinastia Borgonha, também neto de Afonso VI.


*27º avós/536.870.912, um avô é D. Afonso Henriques, ou D. Afonso I, primeiro rei de Portugal (*1109 +1185), c.c. Mafalda de Sabóia, filha dos Condes de Sabóia, um avô é Fernando Mendes de Bragança, o Velho, Senhor de Bragança, Mogadouro e Miranda e de sua mulher Elvira Alderic, filha de Afonso VI, 14º Rei de Leão e 3º Rei de Castela.


*28º avós/1.073.741.824, um avô é Afonso VI, (*1035 +1109), 14º Rei de Leão em 1065 e 3º Rei de Castela em 1073 e de sua 5ª mulher Isabel que é neta de Henrique 1º (1008 - 1060) de França, *30º avô de Anibal, e trineta de Hugo Capeto (pois ele era abade e usava uma capa=capeto, *938 +996), *32º avô de Anibal, que é o fundador da 3ª Dinastia Real da França, e foi seu 1º Rei a partir de 987, (dele também descende a família Imperial do Brasil, os Orleãns e Bragança sendo que, D. Luís de Orleãns e Bragança, o Chefe da Casa Imperial do Brasil, é 29º neto de Hugo Capeto). Isabel também é neta de Ana (c.c. Henrique 1º, 1008-1060), 30ª avó de Anibal que é filha do Grão Duque de Kiev, Yeroslav 1º (31º avô de Anibal) e de sua mulher Ana da Grécia, 31ª avó de Anibal que é irmã dos Imperadores de Constantinopla/Bizâncio: Basílio 2º, Constâncio 9º, todos os 3 filhos de Romano 2º, 32º avô de Anibal, netos de Constantino 7º, 33º avô de Anibal, bisnetos de Romano 1º, 34º avô de Anibal.


*48º avô/Clóvis (*481 +511) que é, na historiografia da França, considerado "o primeiro rei do que se tornaria a França", 1º Rei Franco, 48º avô de Aníbal,


*50ºneto de Teodorico I, (*390 +451), Rei Visigodo, em 52 gerações contínuas, com a média de 29,88 anos por geração (dentro da média de 25 a 35 anos), em 1.554 anos de história. Portanto: Para que eu, Anibal, possa nascer no sec. XX, entre esse meu 50º avô Teodorico I foram precisos: 250 = 1.125.899.906.842.620, qüinquagésimos avós, ou seja, mais de 1 quatrilhão de avós em 1.554 anos.


Fontes consultadas para comprovação documental:


# Anuário Genealógico Brasileiro, IGB, Vols: I, II, III, IV, V, VII e IX.


#  Anuário Genealógico Latino, Vol. 4, IGB, 1952, pg. 76, item 47


1º Barão Cajuru, Sec. XVIII, 4ºavô: 


http://www.genealogiahistoria.com.br/index_baroesviscondes.asp?categoria=3&categoria2=2&subcategoria=25


Manoel Avellar e Almeida, Sec. XVIII, 4ºavô:


http://www.genealogiahistoria.com.br/index_genealogia.asp?categoria=2&categoria2=1&subcategoria=166


Antonio de Arantes, Cap-Mor de Aiuruoca, Sec. XVIII, 5ºavô:


http://www.genealogiahistoria.com.br/index_genealogia.asp?categoria=2&categoria2=1&subcategoria=174


Balthazar Moraes de Antas, Sec. XVI, 12ºavô :


http://www.genealogiahistoria.com.br/index_genealogia.asp?categoria=2&categoria2=1&subcategoria=117


João de Arantes, Sec. XV, 13ºavô:


http://www.genealogiahistoria.com.br/index_genealogia.asp?categoria=2&categoria2=1&subcategoria=123


Afonso Henriques, 1º Rei de Portugal, Sec. XII, 27ºavô:


http://www.genealogiahistoria.com.br/index_genealogia.asp?categoria=2&categoria2=1&subcategoria=339


Clóvis Meroveu, Sec. V, 48ºavô:


http://www.genealogiahistoria.com.br/index_genealogia.asp?categoria=2&categoria2=1&subcategoria=304


Teodorico I, Sec. IV, 50ºavô:


http://www.genealogiahistoria.com.br/index_genealogia.asp?categoria=2&categoria2=1&subcategoria=344


 


 

Os textos desse site podem ser reproduzidos, desde que se informe o autor e o endereço do site.
 
Genealogia e Historia = Autor Anibal de Almeida Fernandes