Pessoas citadas no site www.genealogiahistoria.com.br e sua gênese.


Anibal de Almeida Fernandes, Dezembro, 2009, atualizado Janeiro, 2013.


Adriano Júlio de Barros, tio bisavô de Aníbal (por ser irmão de Maria Francisca de Barros, bisavó de Aníbal), era filho do Comendador José Júlio de Barros e de Emerenciana Ferreira Zimbres de Queirós, 3ºs avós de Anibal, portugueses da freguesia de Gouvães do Douro, Concelho de Sabrosa, Vila Real, que vieram para o Brasil, na segunda metade do século XIX; neto paterno de Bernardo Rodrigues Salgado e de Justina de Barros, 4ºs avós de Anibal; neto materno de Zeferino de Queirós e de Maria Ferreira Zimbres, 4ºs avós de Aníbal. Adriano formou-se em medicina pela Faculdade do Rio de Janeiro, na primeira turma após a Proclamação da República em 1889. Inicialmente trabalhou em São Paulo, como médico legista. De volta a Campinas, logo se tornava um dos clínicos mais famosos da época. A atuação de Adriano não se limitou apenas à área médica, em São Paulo tornou-se importante industrial, tendo sido o principal fundador da fábrica Silex (1908) e da Companhia Paulista de Louça Esmaltada (1912), ocupou, em dois exercícios (1930 e 1931) a presidência da Associação Comercial de São Paulo. Foi vereador em Campinas, nas legislaturas de 1896-98 e de 1899-1901, chegando, nesta última a presidir a Câmara Municipal. Prestou serviços relevantes por ocasião da Gripe Espanhola (1918), assim como durante a Revolução Constitucionalista de 1932.

Adriano casou-se, em 1890, com Altemira Alves Couto, nasc. a 27/1/1871 e fal. a 17/11/1940, filha do Major Antônio Francisco de Andrade Couto, e de Maria Umbelina Alves. Tiveram 7 filhos Couto de Barros: Altamiro (fal. na infância); Adriano c.c. Janete Perad; Maria Amélia; Argemiro c.c. Ana de Camargo Dautre; Antônio Carlos c.c. Décia Milano; Emerenciana Julieta e Lília de Barros (prima-irmã de Ana de Barros, avó paterna de Anibal) c.c. Vicente de Paulo Vicente de Azevedo filho de José Vicente de Azevedo, Conde Romano de Vicente de Azevedo, pela Santa Sé em 1936 (Pio XI). Em 1883 o Conde Vicente de Azevedo c.c. Maria Cândida Bueno Lopes de Oliveira. O Conde é irmão do Barão da Bocâina e ambos são filhos de José Vicente de Azevedo c.c. Angelina Moreira de Castro que é filha da Viscondessa de Castro Lima.

Fontes: Anibal de Barros Fernandes, pai de Anibal, e o Annuário Genealógico Brasileiro, 1º Anno e 3º Ano, pg 179, WIKIPÉDIA.

Barão de Werneck, José Quirino da Rocha Werneck, n. 5/2/1842, irmão do 2º Barão de Palmeiras, ambos netos do 1º Barão de Palmeiras. Seu 1º casamento foi com Maria do Nascimento de Avellar e Almeida, filha de José de Avellar e Almeida, Barão do Ribeirão (tio trisavô de Anibal). Maria do Nascimento é: irmã do Barão de Avellar e Almeida, do Barão de Massambará, do Visconde de Cananéia, prima da 1ª Baronesa do Rio das Flores, prima-2ª do 2º Barão do Rio das Flores, sobrinha do 1º Barão de Santa Justa, prima do 2º Barão de Sta Justa, da Baronesa de Meneses, da Viscondessa de Ibituruna, prima-2ª do 3º Barão de Sta. Justa. Maria do Nascimento é neta de Manoel de Avellar e Almeida, 4º avô de Anibal, Patriarca da Família Avellar e Almeida, RJ. O Barão de Werneck e Maria do Nascimento de Avellar e Almeida são pais de 3 filhos:

1) Maria Alcina, c.c. Francisco Campelo, pais de 4 filhos:

1) Arnaldo, 2) Heloisa, 3) Virgínio e 4) Aníbal.

2) Anita e 3) Elvira.


                Brasão Barão Werneck

                

 

Fontes: Mário Arantes de Almeida, meu tio e o Anuário Genealógico Brasileiro, Ano IV, 1942, fonte primária.

Barão de Almeida Ramos, Joaquim d’Almeida Ramos que, por sua vez, é primo 1º de Albino Rodrigues d’Almeida, 2º avô de Aníbal, e primo 2º de Joaquim Rodrigues d’Almeida, avô de Aníbal. Joaquim d’Almeida Ramos foi agraciado, por decreto de 18/1/1882, com o título de Barão de Almeida Ramos, era Advogado e Comissário de Café. Bacharel em Direito [SP-1859]. Advogou primeiro em Mar de Espanha (MG), e depois, em Valença (RJ). Proprietário de uma casa de comissão de café no Rio de Janeiro. Homem corpulento, alto, rosto grande, pele clara, olhos e cabelos pretos, barba nascente. Em 1865 se casou com Francisca Peregrina Werneck filha do Visconde de Ypiabas. É irmão de João Luís de Almeida Ramos, c.c. Cecília Vieira Werneck (irmã do Barão d’Aliança, sobrinha do 1º Barão do Rio das Flores e prima do 2º Barão do Rio das Flores que são primos de Anibal por serem, respectivamente, 2º neto e 3º neto do casal Antonio da Cunha Carvalho e Bernarda Dutra da Silveira, 6ºs avós de Anibal.

O Barão de Almeida Ramos é tio de Belisário Vieira Ramos, (Belisário é autor do livro A Família Werneck, AGB, Ano IV, pg. 278), c.c. Maria Salomé Garcia, que é neta paterna de José Vieira Machado da Cunha e Maria Salomé de Avellar e Almeida e Silva, 1ºs Barões do Rio das Flores, tios bisavós de Anibal e, também, tios bisavós de Marcos Vieira da Cunha, 5º neto do casal Antonio da Cunha Carvalho e Bernarda Dutra da Silveira, 6ºs avós de Anibal.

Fontes: Mário Arantes de Almeida, (meu tio); Marcos Vieira da Cunha, (meu primo), e Anuário Genealógico Brasileiro, Ano I: pg 232/233 e AGB Ano IV, pg.256 e 277, 1942.


 Brasão Barão Almeida Ramos

 

Conde do Pinhal, Antonio Carlos de Arruda Botelho, n. 23/8/1827, filho de Carlos José Botelho e Cândida Maria Sampaio, 1º c.c., Francisca Teodora Coelho, 2º c.c., Ana Carolina de Mello Oliveira filha do Visconde do Rio Claro, f. a 5/10/1945 com 105 anos. O Conde é irmão de João Carlos de Arruda Botelho que é pai de Antonia c.c. Ernesto Lancia, que são os pais de Zenaide Arruda Botelho Lancia, c.c. Anibal Francisco Caldas (filho de Francisco Souza e Castro Caldas), que são os pais de Oswaldo Arruda Botelho Caldas c.c. Esther Arantes de Almeida, filha de Joaquim Rodrigues d’Almeida c.c. Bernardina Arantes d’Avellar e Almeida, avós de Anibal.

Fontes: Esther Arantes de Almeida, tia de Anibal; Ana Flora Fleury, prima de Anibal, o Anuário Genealógico Brasileiro, Vol. IX, 1947e http://ejassessoria.com.br/eugenio/jcabotelho.htm


Raphael Luíz Pereira de Souza, Bacharel em Direito, colega de Orlando Arantes de Almeida, (meu tio materno e testemunha do nascimento em 1943, em Araraquara, de Washington Luís Pereira de Souza Neto, filho de Raphael Luiz), era frequentador habitual da casa em Araraquara do casal Joaquim/Bernardina, avós de Anibal. Raphael Luíz é filho de Washington Luíz Pereira de Souza, historiador, nascido em Macaé, RJ, 13º Presidente do Brasil, filho de Joaquim Luíz Pereira de Sousa e de Florinda de Sá Pinto. Em 1900, c.c. Sofia de Barros, que é filha de Rafael Tobias de Barros, 2º Barão de Piracicaba, (filho de Antonio Pais de Barros, 1º Barão de Piracicaba, que é irmão do 1º Barão de Itú) e de sua 2ª mulher, Maria Joaquina de Melo Oliveira, filha do Visconde do Rio Claro, e que é irmã de Ana Carolina, 2ª mulher do Conde do Pinhal.

Fontes: Alzira Arantes de Almeida Monteiro, tia de Anibal, Anuário Genealógico Brasileiro Vol. IX, 1947, Washington Luís Pereira de Souza Neto (2013) e Caio Luis Pereira de Sousa Neto, filho de Fernando Luiz Pereira de Souza, e sobrinho-neto de Raphael Luiz, (2004).


Eufrásia Teixeira Leite: é sobrinha de Marcelino José de Avellar e Almeida (irmão de Luisa de Avellar e Almeida, trisavó de Anibal), c.c. Francisca de Paula Corrêa e Castro, irmã de Esméria Correa e Castro, c.c. Joaquim José Teixeira Leite, filho do Barão de Itambé, pais de 2 filhas: Francisca Bernardina e Eufrásia, donas da Casa da Hera, Vassouras, RJ. As irmãs, Francisca de Paula e Esméria, eram filhas do Barão de Campo Belo, LaureanoCorrea e Castro. Marcelino José de Avellar e Almeida e Francisca de Paula Correa e Castro tiveram 7 filhos que são Corrêa e Castro de Avellar e Almeida, ou seja, são primos-irmãos de Eufrásia Correa e Castro Teixeira Leite:

1) Ana Rita, c.c. seu tio, Marcelino de Avellar e Almeida, Barão de Massambará.

2) Carlota Elisa, c.c. seu tio, Bernardino Rodrigues de Avellar, Barão e Visconde de Cananéia.

3) Maria, 4) Martiniana, 5) Camilo, 6) Mariana e 7) Joana.

Fonte: Barões e Escravos do Café, Sônia Sant’Anna, 2001 e fonte primária familiar.


Duque de Caxias: Luís Alves de Lima e Silva (*1803 +7/5/1880), a mãe do Duque, Mariana Candido de Oliveira Belo c.c. o brigadeiro Francisco de Lima e Silva, é irmã de Jose Ricardo de Oliveira Belo, c.c. Mariana de Andrade, que é irmã do Barão de Piabanha, cujo filho, Antonio José Barbosa de Andrade é c.c. Laurinda Francisca de Avelar, filha do Barão do Ribeirão, José de Avellar e Almeida, tio-trisavô de Anibal.

O Barão do Ribeirão é filho de Manoel de Avellar e Almeida e de sua mulher Susana Maria de Jesus, 4º avós de Anibal, (que é o casal tronco da família Avellar e Almeida de Vassouras), portanto Laurinda Avellar e Almeida,


é prima-irmã de João Antonio de Avellar e Almeida, bisavô de Anibal.

Resumo: o filho do barão de Piabanha, Antonio José Barbosa de Andrade é c.c. Laurinda Avellar e Almeida, que é prima-irmã de João Antonio Avellar e Almeida, bisavô de Anibal, Laurinda faz o parentesco de sangue entre os Oliveira Belo Andrade e os Avellar e Almeida e o transversal contra parentesco dos Avellar e Almeida com o Duque de Caxias.

    


      Brasão do Duque de Caxias

 

Fontes pesquisadas para estruturar esse trabalho:

Anuário Genealógico Brasileiro,

Ano I, pgs: 85 e 168, e pg 232/233 e pg 318 a 320;

Ano III, pgs: 126, 179, 196, 257, 351, 410, 411, 412;

Ano IV, pg.256 e 277.

400 Anos de Vida Bandeirante, pgs: 148 a 158.

Titulares do Império, Carlos Rheingantz, 1960.

Barões e Escravos do Café, Sônia Sant’Anna, pg nº 160, Jorge Zahar, 2001. Nota; corrigido por intervenção da autora a 15/12/2009.

Duque de Caxias, Adriana Barreto de Souza, pg. 565, Record, 2008.

Fonte primária:

primos: Marcos Vieira da Cunha (SP), Francisco Klörs Werneck (RJ), competentes pesquisadores de genealogia.

Genealogista: José Guimarães (MG).

 

Os textos desse site podem ser reproduzidos, desde que se informe o autor e o endereço do site.
 
Genealogia e Historia = Autor Anibal de Almeida Fernandes