Entrelaçamento entre as 5 famílias: Junqueira, Ribeiro do Valle-Carvalho do 1º Barão de Cajurú, Ribeiro do Valle-Junqueira, Carvalho-Arantes e os Arantes-Junqueira.


2 titulares Junqueira descendem da Antonia da Graça, 3 Ilhoas, MG:


I) o bisneto Gabriel Francisco Junqueira 1º barão de Alfenas.


II) o 4º neto Francisco Ribeiro Junqueira, barão de Christina.


Autor: Anibal de Almeida Fernandes, 7º neto de Antonia da Graça,


Atualizado, Dezembro, 2016.


O entrelaçamento entre Arantes, Ribeiro do Valle-Carvalho, Ribeiro do Valle-Junqueira e Junqueira é pouco conhecido, e menos ainda difundido nos estudos e trabalhos genealógicos, porém ele se faz perfeitamente, pois do casamento de Antonia da Graça, 3 Ilhoas, MG, 7ª avó de Anibal, nascida 21/2/1687, c.c. Manuel Gonçalves da Fonseca, descendem:


a) todos os Junqueira.


b) todos os Carvalho Duarte de São Miguel do Cajurú, MG.


c) todos os Arantes de Aiuruoca, MG, Ramo de Manuel Rufino de Arantes, 4ºavô de Anibal.


21.02.1687 – Antónia, filha de Manuel Gonçalves e de sua mulher Maria Nunes; foram padrinhos o Capitão António Machado e Maria Roiz (Rodrigues) (Açores, Faial, Horta, Angústias, Batizados, 1666-1694, fl 64v); Inhttp://culturacores.azores.gov.pt/biblioteca_digital/FAL-HT-ANGUSTIAS-B-1666-1694/FAL-HT-ANGUSTIAS-B-1666-1694_item1/P64.html


Casamento Manuel Gonçalves e Antonia (da Graça) Aguiar, 6ºs avós de Anibal. Transcrição fornecida: Vinicius da Mata Oliveira que descende das 3 Ilhoas: Mar-2015



"Em os 07-02-1706 as duas horas da tarde nesta paroquial igreja de N. S. das Angústias com impedimento em quarto grau de consanguinidade em que foram dispensados, com palavras de presente, Manoel Gonçalves filho de Francisco Rodrigues defunto e de sua mulher Bárbara Garcia, com Antônia de Aguiar filha de Manoel Gonçalves e de sua mulher Maria Nunes todos fregueses desta paroquial igreja de N. S. das Angústias."- "Catarina, filha de Manoel Gonçalves mariante e de sua mulher Antônia de Aguiar naturais e fregueses desta paroquial de N. S. das Angústias desta vila de Horta do Faial nasceu em 25-08-1721 pelas oito horas da manhã e foi batizada na pia desta mesma igreja em os 29 do sobredito mês de agosto do dito ano de 1721, padrinhos Manoel Correa solteiro, e Catarina do Rosário."


Antonia da Graça e Manuel ao chegar no Rio de Janeiro em 1723 foram conduzidos pelo conterrâneo Diogo Garcia, (que já estava no Brasil há algum tempo e é marido de Julia Maria da Caridade que é afilhada de Manuel e Antonia da Graça), para sua casa de Rio das Mortes Pequeno, em São João d’El Rei, Minas Gerais.


Antonia da Graça ainda vivia em São João d’El Rei em 1745 e sobreviveu ao marido.


Antonia da Graça e Manuel vieram para o Brasil com 1 filho e apenas 2 filhas:


1ª filha) Catarina de São José, (6ª avó de Anibal), c.c. Caetano de Carvalho Duarte,


Batismo de Catarina, 21/8/1721, 6ªavó de Anibal, fornecido por Vinicius da Mata Oliveira, Março-2015


que dão origem a esses 2 Ramos de descendentes:


a) Ramo Ribeiro do Valle-Carvalho: através do neto João Gualberto de Carvalho4º avô de Anibal, 1º Barão de Cajurú,


Decreto Registrado no Livro VIII, Pag. 54, Seção Histórica do Arquivo Nacional, com petição feita a 9/6/1860, pelo Visconde do Bonfim e pelo Visconde de Ipanema a Pedro II. Nasc. e bat. em 1797, São João d’El Rei, fal. 21/2/1869, S. Miguel do Cajurú, Ten-Coronel da Guarda Nacional, Comendador da Ordem da Rosa em 1849 e da Ordem de Cristo.


é bisneto de Antonia da Graça, é c.c. Ana Inácia Ribeiro do Valle (filha do Cap. Ignácio Ribeiro do Valle, 5º avô de Anibal), dando origem aos 9 filhos Ribeiro do Valle-CarvalhoMaria Brasilina, Militão Honório (2º Barão Cajurú), Ana Elisa (3ªavó de Anibal), Libania (Viscondessa Arantes), Inácio, João Pedro, Guilhermina (Baronesa São João Del Rei), Custódio, José.


b) Ramo Carvalho-Arantes: através da neta Ana Joaquina, 4ª avó de Anibal, (bisneta de Antonia da Graça), c.c. Manuel Rufino de Arantes, 4ºavô de Anibal, filho do Capitão-Mor de Aiuruoca Antonio de Arantes Marques, 5ºavô de Anibal:



dá origem aos 10 filhos Carvalho-Arantes:


Manoel Rufino Filho, Francisca Firmina, Maria, Caetano, João, Leonardo, Quintiliano, Joaquim (3º avô de Anibal, bat. em Aiuruoca a 1/1/1816, ver a fonte), Bárbara (bat. a 11/1/1818, que foi a 2ª esposa do capitão Inácio Ribeiro do Valle que também é 5º avô de Anibal e é o pai da 1ª Baronesa de Cabo Verde e da 1ªBaronesa de Cajurú que é 4ª avó de Anibal) e Iria.


2ª filha) Maria Tereza de Jesus, (tia-6ª avó de Anibal), cuja filha Helena Maria, neta de Antonia da Graça é a Matriarca de todos os Junqueira, pelo casamento a 16/1/1758 com o português João Francisco, bat. a 14/11/1727, na Freguesia de São Simão da Junqueira, Braga, Portugal, queadota Junqueira como seu sobrenome no Brasil, ele é o Patriarca dos Junqueira. João Francisco é filho de João Manoel, a 19/5/1720 c.c. Ana Francisca. João Francisco comprou a fazenda Favacho, em 1764, com 9.000 hectares, da viúva do Cel. José Vieira de Almeida, que foi o fundador da Favacho. João Francisco morreu a 5/4/1819, em São Tomé das Letras, MG. Conforme o Testamento de 1/2/1811, caixa 80, fl. 23, São João d’El Rei, João Francisco e Helena Maria tiveram 7 filhos, que seguem:


1) Maria Francisca da Encarnação viúva de Gabriel de Sousa Diniz. Pais de Genoveva c.c. Francisco Antonio Junqueira.


2) Capitão João Francisco Junqueiraherdeiro da fazenda Favacho, c.c. Maria Inácia do Espírito Santo Ferreira, pai de 3 filhos entre eles:Francisco Antonio Junqueiradono da fazenda Invernada, 1812, com 70.000 alqueires, que deu origem às cidades: Guaíra, Barretos, Olímpia, Morro Agudo, Monte Azul, Colina, Terra Roxa e à fazenda Mata Chica. Foi um desbravador das terras do interior paulista com autorização do futuro Imperador Pedro I, que lhe concedeu a patente de Tenente-Mor, c.c. sua prima-irmã, Genoveva, filha sua tia Maria Francisca.


3) Reverendo Francisco Antonio Junqueira, bat. na fazenda Favacho, a 19/3/1763, ordenado padre a 2/6/1787.


4) Alferes José Francisco Junqueira.


5) Genoveva Francisca, solteira de trinta e oito anos.


6) Gabriel Francisco Junqueira, 1º Barão de Alfenas, a 11/10/1848, n. 1782, f. 18/1/1868, a 11/6/1808 c.c. Ignácia Constança filha de José de Andrade Peixoto (filho de Antonio de Brito Peixoto c.c Maria, filha de André do Valle Ribeiro, Patriarca da Família Ribeiro do Valle, 8º avô de Anibal). Dono da fazenda Campo Alegre, Distrito de Favacho.


O 1º Barão de Alfenas é pai de 10 filhos que são Ribeiro do Valle-Junqueira:


1º) Helena Nicésiac.c. Cel. Antonio José Ribeiro de Carvalho, tiveram 19 filhos:


1) Maria, 2) Gabriel, 3) Inácia, 4) Antonio,


5) Antônio c.c. Francisca Ribeiro Arantes, neta de João Manoel de Souza Arantes,


6) Helena,


7) Custódio c.c. Laureana Ribeiro Arantes, neta de João Manoel de Souza Arantes,


8) José, 9) Mariana, 10) Anna,


11) Francisco Ribeiro Junqueira, Barão de Christina, a 25/9/1889. Sua mulher, Laureana Gomes dos Reis,Baronesa de Christina, é 6a filha de Joaquina Constança c.c. João Gomes de Siqueira Reis. Nasceu em São José do Barreiro, filha do Major João Gomes de Siqueira Reis e de Joaquina Constança de Oliveira, é neta materna de João Manoel de Souza Arantes, Patriarca do Tronco Arantes-Cunha e é 4ª neta de Domingos de Arantes, 6º avô de Anibal e 11ª neta materna de João de Arantes, o 1ºArantes, 13º avô de Anibal.




Pais de 3 filhos que são Arantes-Junqueira:


1º) Miguel, f.s.


2º) Joaquina Nicésia c.c. seu primo Gabriel FranciscoJunqueira.


3º) Pedro, c.c. Ana Ribeiro dos Reis, tiveram 3 filhos:


Francisco Pedro, Petronilha e José Pedro.


12) Francisca, 13) Gabriela, 14) Rita,


15) Maria do Carmoc.c. José Wenceslau Arantesneto de João Manoel de Souza Arantes, Patriarca do Tronco Arantes-Cunha.


16) João Antonio, 17) José, 18) Joaquim Cândido, 19) Helena Nicésia.


2º) Francisco Gabriel, 3º) Ana Gabriela,


4º) Antonio Gabriel, herdou a fazenda Narciso que é parte da fazenda Campo Alegre, c.c. sua sobrinha Helena, filha de sua irmã Helena Nicésia,


5º) Mariana, 6º) Maria Rita, 7º) Genoveva, 8º) Rita de Cássia,


9º) Joaquim Thiburcioherdou a fazenda Narciso que é parte da fazenda Campo Alegre.


10º) João Procópio.


7) Ana Francisca que foi casada com o Capitão Joaquim Bernardes da Costa, já falecida, tiveram 9 filhos:


1) Ana c.c. o Capitão André Martins, 2) Joaquim, 3) João, 4) Gabriel, 5) Francisco, 6) José, 7) Mariana, 8) Antonio, 9) Tristão.


Ainda destaco: Altino Arantes Marques (neto de Veríssimo, 10º filho de Antonio de Arantes Marques o Patriarca do Tronco Arantes-Aiuruoca, 5º avô de Anibal), que foi o 10º presidente do Estado de São Paulo (1916 até1920). Altino em seu 2º casamento com Gabriela da Cunha Diniz Junqueira(filha de Joaquim Cunha Diniz Junqueira), foi pai de 2 filhos Junqueira-Arantes, que são primos em 5º grau de Anibal:


1º) Maria Bernadete c.c. seu primo Roberto de Rezende Junqueira, (filho de Aurélio Junqueira) pais de 3 filhos:


Tereza Cristina, Maria Sylvia, Francisco Roberto;


2º) Joaquim fal. solteiro.


(Altino Arantes Marques é primo-2º de Ana Margarida Arantes de Avellar e Almeida, bisavó de Anibal)


Fontes consultadas para estruturar este trabalho:


1] A Família Junqueira, Frederico de Barros Brotero, pgs: 8, 9, 257, 667.


2] A Família Junqueira, José Américo Junqueira de Mattos, 2004, pgs: 1311 a 1442.



Foto de 1900: Bernardina e Joaquim, avós de Anibal, casal tronco do Ramo Arantes-Araraquara, SP. Da esquerda para a direita: Bernardina (1869-1936), no colo Alzira, (1900-1984). Em pé: Mário, (1893-1958), estudou engenharia na Bélgica (1911-1914) advogado (São Francisco, 1923), Vereador e Prefeito de Araraquara. Joaquim (1866-1937). Na cadeira: Maria, (1898-1969). Em pé: Luisa, (1891-1936). No fim da monarquia, a caminho de Araraquara, SP, por conta da devastadora decadência da região cafeeira fluminense, passaram pelo Rio de Janeiro (foram ao Baile da Ilha Fiscal, junto com os Barões de Muritiba, pois a Baronesa era madrinha de crisma de Bernardina, avó de Anibal, que foi com um vestido amarelo de seda de Macau e com um colar de ouro e esmeraldas, pois as senhoras deviam estar vestidas com as cores do Império). Em 1890, chegaram em Araraquara, depois compraram a fazenda Baguary (a venda do colar de esmeraldas ajudou, pois nessa época do Encilhamento provocado pelo Rui Barbosa a economia estava um caos completo e os antigos Barões na miséria) e Joaquim voltou a plantar café, que é o que ele sabia e gostava de fazer. Tiveram 12 filhos: 1891, 1893, 1898, 1900, 1902, 1905, 1906, 1907, 1910, 1911, 1912, 1914, 6 homens (alguns estudavam no Colégio São Luiz em Itu) e 6 mulheres. Os 6 filhos estudaram em Universidades: Mário, Bernardino e Orlando se formaram em advocacia no Largo São Francisco (SP) e Luiz e José se formaram em Medicina na Praia Vermelha (RJ) e Joaquim abandonou o curso de medicina e cuidou da casa comercial criada por Joaquim para ter fonte de renda alternativa. Em 1936, morrem Luisa e Bernardina e, em 1937, amargurado com esses 2 terríveis golpes e desanimado/desiludido com o café por conta da crise de 1929, Joaquim morre. Em 1938 a Baguary é vendida, (Formal de Partilha, Cartório do 2º Ofício, Araraquara, 7/8/1937)Mário, Luiz e Bernardino Arantes de Almeida são nomes de ruas em Araraquara.


 



Jornal Correio do Papagaio – Aiuruoca, MG.


3] Revista Genealógica Latina: As Ilhoas, José Guimarães, pgs. 65 a 83, Vol., XII, 1960.


4] Anuário Genealógico Latino, Vol. 4, pg. 72.


5] Anuário Genealógico Brasileiro: 1º Anno, pgs: 37 a 58; pgs: 106, 169.


6] Anuário Genealógico Brasileiro, IX Ano, pg: 142.


7] Pereira, Américo Arantes -A Família Arantes, estudo genealógico, Editora Legis Summa Ltda, Ribeirão Preto, 1993, editado por Flávia Meirelles Pereira Ferriani, filha do autor.




8] Biblioteca Pública e Arquivo Distrital de Braga, a 19/11/1946, carta do Diretor Francisco Lopes Teixeira, informa que os Arantes, são oriundos das Freguesias do Salvador do Couto do Souto e São Mateus da Ribeira, hoje pertencentes ao Concelho de Terras do Bouro, Distrito de Braga.


9] Livro 2, fls. 42v a 45, Cartório do 1º Ofício de Andrelândia, MG, Testamento da 1ª Baronesa de Cajurú, de 2/9/1880.


10] Efemérides de São João d’El Rei, Sebastião de Oliveira Cintra, e Crônica deOutrora, Antonio de Almeida Prado, Editora Brasiliense, 1963.


11] Titulares do Império, Carlos Rheingantz, 1960.


12] Mário Arantes de Almeida, (1893-1958), Prefeito de Araraquara, SP, fonte primária.


13] Dicionário das Famílias Brasileiras, Cunha Bueno/Carlos Barata, Brasília, 2.000.


14] Helvetia Polo Internacional, Ano 2, nº 4, Setembro, 2002.


15] Flávio Mário de Carvalho Junior, trineto do 1º Barão de Cajurú, pesquisas in situ, fonte primária, 2005.


16] Dário Zagotta, 8º neto de André do Valle Ribeiro, fonte primária, 2008.


17] Museu Regional de São João del Rei, Inventário: 8/4/1876, Comendador Manoel Ananias de Assis Junqueira e sua mulher D. Maria Clara Dinis Junqueira.


18] Matriz de Aiuruoca: autos do Inventário, pg. 84, maço 5, Maio=1814 eTestamento, de 30/12/1800 de Antonio de Arantes Marques, (fal. 17/5/1801), Fazenda da Conquista, que consta de livro de Óbitos nº 7, pg. 179 verso, Aiuruoca, certificado a 29/8/1814 pelo presbítero: Cassiano Accioli d’Albuquerque. Museu Regional de São João del Rei, Tipo de Documento: Inventário, Ano: 1816, Caixa: 05.  


. Biblioteca Pública e Arquivo Distrital de Braga, a 19/11/1946, carta do Diretor Francisco Lopes Teixeira, informa que os Arantes são oriundos das, Freguesias do Salvador do Couto do Souto e São Mateus da Ribeira, hoje pertencentes ao Concelho de Terras do Bouro, Distrito de Braga.


. Nantes ou Arantes ou D’anantes, que hoje He Arantes, 1994, trabalho do Padre Marcelino Pereira, Séc. XVIII, encontrado no Arquivo de Braga, manuscrito 876.


Genealogia Paulistana, de Luiz Gonzaga da Silva Leme, (*1852 - †1919)

Título Moraes: Volume VII, Pgs: 3, 25 e 56.

Volume VII pg 3 > Moraes: Esta família teve princípio em Balthazar de Moraes de Antas, 12º avô de Anibal, que de Portugal passou a S. Paulo onde casou com Brites Rodrigues Annes f.ª de Joanne Annes Sobrinho, que de Portugal tinha vindo a esta capitania trazendo solteiras três filhas, que todas casaram com pessoas de conhecida nobreza.

Pedro Taques, de quem copiamos esta notícia sobre os Antas Moraes e que por sua vez copiou-a do título dos Braganções na livraria de José Freire Monte Arroio Mascarenhas em 1757.

 



Informação de Marcos Camargo, de San Diego, Califórnia, por correspondência eletrônica com Anibal em Out/2013. Prova documental: Florencia Francisca das Neves filha de Manoel de Moraes de Antas.


Prova Documental da Filiação: Florencia Francisca das Neves filha de Manoel de Moraes de Antas. Pg: 2 abaixo.



   https://familysearch.org/pal:/MM9.3.1/TH-1-16047-15499-25?cc=2177299&wc=M971-MBC:1462860254



Acima, destaque da citação de Florencia, 7ªavó de Anibal como filha de Manoel de Moraes, 8ºavô de Anibal, ampliada por Laís Gonçalves Faria.


A parte mais importante diz que: de Manoel de Moraes procede Florencia Francisca das Neves e desta Rita Maria da Conceição que foi casada com Joao Duarte Franca.


 "(https://familysearch.org/pal:/MM9.3.1/TH-1-16047-14925-86?cc=2177299&wc=M971-MBC:1462860254


Prova Documental da Filiação de Isabel de Moraes, 9ªavó de Anibal, como filha de Accenço de Moraes, 10ºavô de Anibal, fornecida por Vinicius da Mata Oliveira, 11ºneto de Isabel de Moraes, Jan, 2017.


 https://familysearch.org/pal:/MM9.3.1/TH-1-14863-98570-53?cc=2177299&wc=M97B-RFZ:990736824



 "Aos doze dias do mês de maio era de mil setecentos e trinta e nove anos nesta vila de Nossa Senhora da Candelária de Itu faleceu Isabel de Moraes com ( ___ ) Sacramentos, viúva que foi de Pedro de Fonte Garcia do qual matrimônio teve filhos e depois foi casada com Manoel Fernandes Preto e também ( ___ ) deste matrimônio vários filhos, e também ( ___ ) deste marido, morreu de idade por dizer teria oitenta anos pouco mais ou menos, filha de Ascenço de Moraes e de sua mulher Maria de Siqueira todos naturais da cidade de São Paulo. Fez testamento do que deixou se lhe rezassem ( ___ ) missas, foi enterrada na Igreja na tumba? pobre ( ___ ) hábito de São Francisco, deixou por testamenteiros a seu filho Marcelino de Moraes e a Hermógenes de Moraes de que tudo fiz este assento. José Pires ?."


. José Guimarães, dados fornecidos pelo insígne Genealogista de Ouro Fino, MG, sobre a ascendência de Ana da Cunha de Carvalho/Balthazar de Moraes de Antas.


. Guimarães, José -As Ilhoas, pg. 65, Revista Genealógica Latina, Vol. XII, IGB, SP, 1960.


. Mário Arantes de Almeida, anotações sobre A Família Arantes Ramo de Araraquara.




http://br.geocities.com/projetocompartilhar3/joaofranciscojunqueira1819helenamariadoespiritosanto1810.htm


http://br.geocities.com/projetocompartilhar/estudooscarvalhoduartenosuldeminas.htm,www.sfreinobreza.com/NobAZ.htm


 


 

Os textos desse site podem ser reproduzidos, desde que se informe o autor e o endereço do site.
 
Genealogia e Historia = Autor Anibal de Almeida Fernandes