BARÃO de LIMEIRA


e ligação com os Avellar e Almeida, através da filha do Visconde de Cananéia, neto de Manoel de Avellar e Almeida, 4ºavô de Anibal.


Decreto Registrado no Livro VIII, Pag. 115, Seção Histórica do Arquivo Nacional.


Aníbal de Almeida Fernandes, Maio, 2012, atualizado Agosto, 2017.


Vicente de Souza Queiroz, Barão de Limeira a 1/2/1867, nasceu na capital da Província de São Paulo a 6/3/1813 e faleceu em Baependi na Província de Minas Gerais a 6/9/1872. Era filho do brigadeiro Luiz Antonio de Souza, fidalgo com brasão de armas* e de Genebra de Barros Leite, filha do capitão Antonio de Barros Penteado e de Maria de Paula Souza.


O Barão de Limeira foi Vereador da Câmara Municipal da Cidade de São Paulo realizou importantes melhoramentos que muito contribuíram para o desenvolvimento desta capital. Foi nomeado em 1850, presidente da Província de São Paulo, cargo este que recusou. Durante a guerra do Paraguai equipou e armou os soldados que ofereceu ao governo.


O Barão de Limeira casou com Francisca de Paula Souza e Mello, sua prima, filha do Conselheiro e Senador Francisco de Paula Souza e Mello e de Maria de Barros que era filha do 1º Barão de Piracicaba. O casal teve 15 filhos:


1º Genebra, 2º Francisca Miquelina, 3º Vicente,


Maria Olézia c.c. Carlos Antonio de França Carvalho, pais de:


Vicente Carlos c.c. Maria Virgília que é filha do 2º casamento de Bernardino Rodrigues de Avellar, Visconde de Cananéia.


(Maria Virgília é neta do Barão do Ribeirão, tio 3ºavô de Anibal, e bisneta de Manoel de Avellar e Almeida, 4º avô de Anibal, Patriarca da Família Avellar e Almeida de Vassouras, RJ. Maria Virgília é sobrinha do Barão de Avellar e Almeida, do Barão de Massambará e da Baronesa de Werneck, é sobrinha-neta do 1º Barão de Santa Justa).


Vicente Carlos e Maria Virgília são pais de 4 filhos que são 3ºs netos de Manoel de Avellar e Almeida, 4º avô de Anibal:


*Vicente Carlos de França Carvalho Filho c.c. Maria Júlia de Oliveira


*José Carlos c.c. Noêmia Machado


*Maria Eugenia (França Machado) Azevedo Castro


*Antonieta (França Machado) Ferreira de Castro


5º Luiz Vicente, 6º Ângela, 7º Francisco, 8º Paulo, 9º Alice, 10º Carolina, 11º Paulina, 12º Antonio Vicente, 13º Fernão, 14º Teobaldo, 15º José Vicente.


Parte do Testamento, abaixo,  de: Dona Paulina de Souza Queiroz,

Ela havia sido casada com Julio Benedicto Ottoni, mas o casamento foi anulado por decreto papal.  Julio Benedicto Ottoni era irmão de Ermelinda Ottoni, c.c. Luiz Vicente de Souza Queiroz, fundador da ESALQ de Piracicaba e irmão de Paulina de Souza Queiroz. No caso temos o casamento de 2 irmãos Souza Queiroz com 2 irmãos Ottoni.


 


 Texto parcial do testamento de Paulina:


....2º que, o testamento foi apresentado  em data de onze do corrente mez  de Novembro , pelo Dr. Vicente Carlos França Carvalho, que declarou que a testadora Dona Paulina de Souza Queiroz, falleceu nesta capital, onde era domiciliada, no dia nove do corrente mez de Novembro.

..... Deixo a meus sobrinhos Vicente Carlos de França Carvalho e Maria Virgilia de França Carvalho – o prédio da rua da Assembléa (antiga rua Livre) numero dous. Deixo à minha sobrinha Maria Clesia de França Carvalho Azevedo Castro neta de minha irmã Maria Olesia de França Carvalho, já fallecida – as duas casas da rua João Passalacqua (antiga Monte d’Ouro) numero trinta e oito e numero cincoenta. Deixo a minha sobrinha Maria Eugenia de França Carvalho Azevedo Castro, neta de minha irmã Maria Olesia de França Carvalho, já fallecida – as duas casas da rua João Passalacqua (antiga Monte d’Ouro.


Adendo fornecido por Tiffany, contra prima de Anibal, trineta Barão de Tatuí = Testamento Paulina Souza Queiroz:


 




Brasão de Armas do Barão de Limeira: Escudo esquartelado; no primeiro as armas dos Souza do Prado, que são esquarteladas tendo no primeiro e quarto as Quinas de Portugal sem a orla dos castelos e no segundo e terceiro, as armas de Leão: em campo de prata um leão rompente de vermelho; no segundo quartel as armas dos Macedo, que são: em campo azul cinco estrelas de ouro de cinco pontas, em santor; no terceiro as armas dos Teixeira que são: em campo azul uma cruz de ouro potente e vazia do campo; no quarto quartel as armas dos Queiroz, que são esquarteladas, o primeiro de ouro com seis crescentes de lua vermelho, em duas palas, o segundo de prata com um leão púrpura e assim os contrários. Timbre: dos Souza do Prado, um leão rompente de ouro e vermelho com uma grinalda florida de verde e por diferença uma brica encarnada com um farpão de ouro. (Brasão passado a 5/1/1818. Registrado no Cartório da Nobreza do Império, Livro 1, fls.80).


O Brasão* usado pelos Limeira e Souza Queiroz foi concedido a 5/1/1818, por D. João VI (ver abaixo a explicação) ao brigadeiro Luiz Antonio de Souza e foi usado pelo Limeira com coroa de Barão após concessão do Imperador Pedro II a 1/2/1867 e, depois de sua morte, pelo Souza Queiroz com coroa de Conde por ter obtido a 14/10/1874 título de Barão com Grandeza, por concessão do Imperador Pedro II.


Fontes consultadas para este trabalho:


#Pesquisa de Anibal de Almeida Fernandes, sobrinho-trineto do Barão do Ribeirão e 4º neto de Manoel de Avellar e Almeida.


#Anuário Genealógico Brasileiro, volumes: I, III-pg. 13, IV, VI, VII e IX.


#Dicionário das Famílias Brasileiras, Cunha Bueno/Carlos Barata, Brasília, 2000.


#Instituto Genealógico Brasileiro, 50 Anos, 1991, pg 313: Família Avellar e Almeida.


#Filhos do casal Vicente Carlos c.c. Maria Virgília.


#Informação de Steffany: testamento Paulina


http://quedasdoiguacunossahistorianossagente.blogspot.it/2011/07/quinao-n-1-de-genebra-de-aguiar-de.html


*Concessão de brasãoPara conseguir, desesperadamente, renda para manter a Corte, entre 1808 e 1821, que estava à míngua por falta absoluta de dinheiro, D. João VI concedeu títulos a 28 marqueses, 8 condes, 16 viscondes e 21 barões, ou seja, 73 títulos de nobreza numa média aproximada de 6 títulos por ano. Destes 73 títulos, apenas quatro, (ou seja, 5%), são brasileiros natos: Baronesa de São Salvador de Campos (17/12/1812), Barão de Sto. Amaro (6/2/1818), Barão de São João Marcos, (6/2/1818) e Barão de Goiânia (26/3/1821). Alem disso, concedeu insígnias a 4.048 cavaleiros, comendadores e grã-cruzes da Ordem de Cristo, 1.422 comendas da Ordem de São Bento de Aviz e 590 comendas da Ordem de São Tiago e brasões de armas aos brasileiros que requeriam, e tinham condições de pagar essas honrarias, como foi o caso do brigadeiro Luiz Antonio de Souza.


 


Jorge Benedicto Ottoni é pai de Cristiano Benedicto Ottoni, e é avô de Julio Benedicto Ottoni que é casado a 15/7/1879, com Paulina de Souza Queiroz,  nascida em São Paulo a 19/7/1859 e falecida em São Paulo a 9/11/1936 que é sobrinha do Barão de Tatui, Francisco Xavier Paes de Barros, trisavô de Tiffany.

Julio Benedicto Ottoni é irmão de: Ermelinda (que foi casada com Luiz Vicente de Souza Queiroz, irmão de Paulina de Souza Queiroz, que foi fundador do ESALQ em Piracicaba) e de Christiano Benedicto Ottoni Junior, filhos do conselheiro Christiano Benedicto Ottoni, homem público, bastante conhecido no Rio de Janeiro e Barbara Balbina de Araujo Maya.

Paulina de Souza Queiroz (filha de Vicente de Souza Queiroz e Francisca de Paula Sousa), neta paterna do brigadeiro Luiz Antonio de Souza e Genebra de Barros Leite, neta materna do Conselheiro Francisco de Paula Sousa e Mello e Maria de Barros Leite. (Genebra e Maria de Barros Leite são irmãs, ambas filhas de Antonio de Barros Penteado e Maria Paula Machado, 5°s avós de Tiffany).
 
Os textos desse site podem ser reproduzidos, desde que se informe o autor e o endereço do site.
 
Genealogia e Historia = Autor Anibal de Almeida Fernandes