2º BARÃO DE CAJURÚ


Decreto Registrado no Livro XII, Pag. 110, Seção Histórica do Arquivo Nacional.


Não há Brasão registrado no Cartório da Nobreza e Fidalguia do Império do Brasil.



Autor: Anibal de Almeida Fernandes, sobrinho-trineto do 2º Barão de Cajurú, Março, 2010, atualizado Novembro 2016.

 Militão Honório de Carvalho, 2º Barão de Cajurú a  26/07/1889, tio 3ºavô de Anibal, foi bat. a 10/5/1828, foram seus padrinhos Antonio Belfort d’Arantes e sua mulher Maria de Paula. Projeto Compartilhar:



Militão, batizado aos 10-05-1828 na Capela do Turvo, foram seus padrinhos Antonio Belfort d’Arantes e sua mulher Maria de Paula. Militão Honório de Carvalho aos 18-09-1853 casou com Maria Custódia de Arantes, de 16 anos, filha de Antonio Belfort de Arantes e Maria Custódia.


Andrelandia-MG Igreja N Sra do Porto do Turvo - Aos dezoito de Setembro de mil oitocentos e cinqüenta, ás três horas da tarde nesta Igreja Matriz, o Rvdo. Antonio Ferreira de Arantes, assistio ao matrimonio, que contrahio Militão Honório de Carvalho e D. Maria Custódia de Arantes, aquelle branco, de idade 23 annos, filho legitimo do Tenente Coronel João Gualberto de Carvalho e de D. Anna Ignácia da Conceição; e esta branca, de idade dezeseis annos, filha legitima de Antonio Belfort de Arantes e de D. Maria Custódia. Test.: Conego Antonio dos Reis Silva Rezende e Ten. Jeronimo de Arantes Marques


Militão faleceu em 15-12-1891 aos 64 anos de idade.


Atenção: há 2 erros no registro do  Projeto Compartilhar: do ano do casamento do 2º Barão Cajurú: 1853 ou 1850??, alem disso a data de nascimento está errada, pois ele só teria 23 anos em 10/5/1851!!! tendo nascido a 10/5/1828 como o site Projeto Compartilhar informa, ou então, a data de nascimento correta é 10/5/1827, como está a idade pelo registro da morte a 15/12/1891. Além disso, o Censo de 1831 informa o nascimento do filho  Nicolau em 1828!!





O 2º Barão de Cajurú não aparece no Censo de 1831:


*Arquivo Público Mineiro: MP caixa 13, doc. 16 > Censo de 5/12/1831, Juiz de Paz Antonio Francisco de Azevedo, do Curato do Turvo, Freguesia de Aiuruoca, Termo de Baependi: informa que: no 18º quarteirão de moradias cujo Oficial era Joaquim José da Fonseca, está registrado João Gualberto Carvalho (branco, 34 anos=1797): Ana (branca, 27 anos=1804) e 5 filhos: 1) Manoel (11 anos=*1820), 2) Maria (5 anos=*1826), Nicolau (3 anos=*1828), Ignácio (2 anos=*1829) e Martiniano (1 ano=*1830). Atenção: Nicolau e Martiniano não aparecem em nenhum outro registro, o que indica provável morte na infância, e é longo o espaço entre 1820 e 1826 sem nenhum filho. Nota: em outros registros este espaço é preenchido por Militão bat. 1828 ou 27 (herdeiro da fazenda das Bicas e futuro 2º Barão de Cajurú) e minha 3ª avó, Ana, nasc. 1821 ou 24, que não aparecem no Censo do Turvo de 1831.



O 2º Barão de Cajurú era Comendador da Imperial Ordem da Rosa.


O 2º Barão de Cajurú, tio 3ºavô de Anibal, é filho de João Gualberto de Carvalho, 1º Barão de Cajurú a 30/6/1860, (4ºavô de Aníbal), c.c. Ana Inácia Ribeiro do Valle, filha de Inácio Ribeiro do Valle. Neto paterno de Caetano de Carvalho Duarte Filho, bisneto paterno de Caetano de Carvalho Duarte (Patriarca da Família Carvalho-Duarte de Cajurú) e sua mulher Catarina de São José que é filha de Manoel Gonçalves da Fonseca e sua mulher Antonia da Graça (3 Ilhoas) de Minas Gerais, radicados em São João d’El Rei em 1723.

O 2º Barão de Cajurú foi o principal herdeiro no Testamento de sua mãe,1ª Baronesa de Cajurú,  4ºavó de Anibal,  falecida a 11/1/1889, ele herdou a Fazenda das Bicas no município de Andrelândia (antiga Vila Bela do Turvo), MG.

O 2º Barão de Cajurú, a 18/9/1853, c.c. com sua prima-irmã, Maria Cândida Belfort Ribeiro de Arantes, que é a 6ª filha do 1º Barão de Cabo Verde, tio 4ºavô de Anibal, Antonio Belfort de Arantes e sua mulher Maria Custódia Ribeiro do Valle (irmã da 1ª Baronesa de Cajurú, o que faz a 2ª Baronesa de Cajurú ser bisneta do Capitão-Mor de Aiuruoca Antonio de Arantes Marques, Patriarca do Tronco Arantes-Aiuruoca, 5º avô de Anibal).

Os 2ºs Barões de Cajurú tiveram 10 filhosque são netos de João Gualberto de Carvalho, 1º Barão de Cajurú, 4ºavô de Anibal:

1) Maria Isabel, c.c. Prudente de Andrade Reis, herdou a fazenda das Bicas, pais de 4 filhas:

1ª: Josefina c.c. Joaquim Tibúrcio de Carvalho, herdou a fazenda das Bicas, pais de:

Raul de Andrade Carvalho c.c. Carlina Salgado Azevedo, herdou a fazenda das Bicas, pais de:

José Bonifácio de Azevedo Carvalho comprou a sede da fazenda das Bicas, c.c. Sonia Arantes Junqueira, pais de:

Suely Junqueira Carvalho que herdou a fazenda das Bicas, c.c. Antonio Márcio Silveira Carvalho, são os atuais proprietários (2009), pais de:

Danielle (*1991) e Henrique (*1999).

2ª: Mariana, 3ª: Maria Izabel, 4ª: Ana Isabel.

2) Ignácio, f.s. e 3) Eduardo, f.s.

4) Adelaide, c.c. Franklin Camilo de Campos, pais de 7 filhos:

Corina, Carmelita, Maria, Armantina, Aníbal, Alexandre, Franklin.

5) Josina, c.c. Augusto Campos, pais de 3 filhos:

Orlando, Maria Cândida, Libânia.

6) Guilhermina, c.c. Quirino de Andrade Reis, pais de 6 filhos:

Maria, Severino, Iria, Virgílio, Horácio, Antonieta.

7) Antonio, c.c. Mari, (filha de Ambrosina Arantes), pais de 6 filhos:

José, Maria, Ambrosina, Sebastiana, Geraldo, Maria Aparecida.

8) João Gualberto, c.c. Anália Campos.

9) Ana, c.c. Adolfo Santos, s.g.

10) Martiniano, c.c. Cecília Camila de Campos, com 10 filhos:

1: Olegário, c.c. Hortênsia Gomes de Carvalho pais de Maria Cecília, c.c. seu primo-irmão, Afrânio Salgado Carvalho, (filho de Militão Honório c.c. Odete Salgado, ver abaixo na fonte a identificação deste Militão Honório).

2: Nestor, c.c. Ana Elzy filha de Emerenciana Diniz Junqueira Monteiro de Barros c.c. Ignácio Pereira de Carvalho, que é filho de Maria Brasilina, (tia-3ªavó de Anibal) filha do 1º Barão de Cajurú, avô de Aníbal.

3: Olga, 4: Cecília, 5: Cristiano.

6: Militão Honório c.c. Odete Salgado, (item 6.6, pg. 479, livro A Família Arantes ver, abaixo na fonte a identificação deste Militão Honório).

7: Maria, 8: Hercília, 9: Jovelina,

10: Maria da Conceição (conhecida pelo apelido de Nenê). 


Um primo meu, 3º neto do 1º Barão de Cajurú, no Laboratório de Genética Dr. Sérgio Danilo Junho Pena, em Belo Horizonte, MG, submeteu-se ao exame do cromossomo Y de ancestralidade paterna (Carvalho) tendo como resultado que pertence ao haplogrupo R1b, que são os mais antigos europeus, tendo chegado na Europa há 40.000 anos atrás.


 O 2º Barão de Cajurú é irmão da Viscondessa de Arantes e da Baronesa de São João d’El Rei e é sobrinho do 1º Barão de Cabo Verde.  

O 2º Barão de Cajurú é primo-2º do Barão de São Tomé, primo-3º do Barão de Conceição da Barra (neto do Marquês de Valença) e primo-3º da Baronesa de Ponte Nova (neta do Marquês de Valença e irmã do Barão de Conceição da Barra), primo-3º do 1º Barão de Entre Rios, primo-4º do Visconde de Entre Rios, primo-4º da Condessa do Rio Novo, todos esses titulares são descendentes de Caetano de Carvalho Duarte, 6ºavô de Anibal, o Patriarca do Tronco Carvalho Duarte-Cajurú do Sul de Minas.

Fontes pesquisadas para estruturar este trabalho:

#Anuário Genealógico Brasileiro (AGB): Ano, I, II, III (fl. 397), IV, VI, VII e IX.

#A Família Arantes, Américo Arantes Pereira, pgs: 464 a 479, 2ª Edição, 1993.

Atenção: há erro na pg. 471 (item 7.1) e pg. 473 (item 7.7), pois o citado Militão Honório, c.c. Odete Salgado, item 6.6, pg. 479 é o neto do 2º Barão de Cajurú, ele não é o 2º Barão de Cajurú, como está erroneamente descrito nesses 2 itens: item 7.1 pg 471 e item 7.7 pg 473.

#Flávio de Carvalho, o Comedor de Emoções, J. Toledo.

#Terra de André, Marcos Paulo de Souza Miranda.

#Efemérides da São João d’El Rei, Sebastião de Oliveira Cintra, 2ª Edição.

#Testamento da 1ª Baronesa de Cajurú, registrado no Livro 2º, fls. 42v/45, Cartório do 1º Ofício de Andrelândia.


http:// geocities.yahoo.com.br/projetocompartilhar = CaetanodeCarvalhoDuarte.

 

 

 
Os textos desse site podem ser reproduzidos, desde que se informe o autor e o endereço do site.
 
Genealogia e Historia = Autor Anibal de Almeida Fernandes