Sala dos Brasões do Palácio Nacional de Sintra



 

Sala dos Brasões no Palácio Nacional de Sintra, ou Palácio da Vila, cuja cúpula ostenta as armas de D. Manuel I, de seus filhos e de setenta e duas das mais importantes famílias da Nobreza. O revestimento das paredes data do século XVIII, obra de grandes mestres da azulejaria lisboeta da altura.

Anibal de Almeida Fernandes, Setembro, 2012.

Planta de localização dos Brasões na Sala do Palácio Nacional de Sintra


As 72 famílias mais ilustres e importantes do Reino de Portugal, tendo como diferencial:

honra, história e bens

A - Armas do Rei D. Manuel I; B - Infante Dom Yoam; C - Infante Dom Luis; D - Infante Dom Fernando; E - Infante Dom Afonso; F - Infante Dom Enrique; G - Infante Dom Duarte; H - Infante Dona Isabel; I - Infante Dona Beatris; 42 - Aboim; 27 – Abreu; 71 - Aguiar; 23 - Albergaria; 14 - Albuquerque; 24 - Almada; 16 - Almeida > Brasão abaixo;15 - Andrade; 66 - Arca; 4 - Ataíde; 25 - Azevedo; 58 - Barreto; 55 - Bethancourt, 72 - Borges; 28 - Brito; 35 - Cabral; 43 - Carvalho > Brasão Abaixo; 26 - Castelo-Branco; 3 - Castro; 7 - Castro (da Penha Verde); 63 - Cerveira; 59 - Coelho; 32 - Corte-Real; 45 - Costa; 2 - Coutinho; 8 - Cunha; 5 - Eça; 69 - Faria; 18 - Febos Monis; 61 - Ferreira; 53 - Gama; 65 - Góios; 56 - Góis; 68 - Gouveia; 21 - Henriques; 33 - Lemos; 19 - Lima; 49 - Lobato; 30 - Lobo; 40 - Malafaia; 17 - Manuel; 38 - Mascarenhas; 41 - Meira; 12 - Melo; 22 - Mendonça; 6 - Meneses; 36 - Miranda; 44 - Mota; 29 - Moura; 54 - Nogueira; 1 - Noronha; 47 - Pacheco; 10 - Pereira; 46 - Pessanha; 57 - Pestana; 64 - Pimentel, 67 - Pinto; 60 - Queiróz; 34 - Ribeiro; 31 – Sá; 39 - Sampaio; 62 - Sequeira; 52 - Serpa; 13 - Silva; 48 – Sotomaior; 9 - Sousa; 37 - Tavares; 20 - Távora; 50 - Teixeira; 51 - Valente; 11 - Vasconcelos; 70 - Vieira.

Em Portugal, D. Manoel 1º, o Venturoso, (1469-1521), 14º Rei de Portugal (1495-1521), foi quem ordenou que se organizasse em Portugal um núcleo heráldico para os escudos de armas das famílias nobres, (quase que simultaneamente ao Colégio Inglês de Armas fundado em 1484) que organizou/corrigiu e mandou registrar os Brasões. Foram qualificadas com destaque 72 famílias como as mais ilustres e importantes do Reino, tendo como diferencial honra, história e bens e os seus Brasões foram pintados no teto da Sala dos Brasões do Palácio Nacional de Sintra. Consta que existiram três livros de brasões:

1] o 'Livro Antigo dos Reis d’Armas' de António Godinho, escrivão da Câmara Real, que teria desaparecido quando um terremoto destruiu o Cartório da Nobreza;

2] o 'Livro do Armeiro-Mor', com data de 15 de agosto de 1509, de João Rodrigues, Rei de Armas de Portugal;

3] e o 'Livro da Torre do Tombo' do Bacharel Antonio Rodrigues, também Rei de Armas de Portugal.

Brasão da Família Almeida = concedido a 1/3/1494


 

 

 
Os textos desse site podem ser reproduzidos, desde que se informe o autor e o endereço do site.
 
Genealogia e Historia = Autor Anibal de Almeida Fernandes